Não remova a cutícula!

PODOLOGIA

Não remova a cutícula!

Todas as pessoas, quando vão fazer uma sessão de podologia pela primeira vez, perguntam: "Você não vai tirar a cutícula? Gosto dela bem tirada". O eponíquio, nome anatômico e fisiológico da cutícula, serve como um dos mais importantes mecanismos de defesa de nossos membros superiores (mãos) e inferiores (pés) contra invasões bacterianas do meio externo no nosso corpo. Protege-nos também contra a penetração de agentes químicos irritantes, como produtos de limpeza (sabão, cloro, água de lavadeira, etc.) que causam grande incômodo e podem elevar a níveis insuportáveis de inflamação. Localizado na parte arredondada do colo da unha, na direção da matriz (raiz), o eponíquio funciona como um tampão, uma cortina da pele do dedo caída sobre a lâmina da unha, impedindo que formas de vida não reconhecidas pelo nosso corpo venham a nos invadir. A maioria das pessoas desconhece o fato de que as unhas não crescem na ponta, mas dentro dos dedos, a partir da raiz, deslocando toda a unha já existente para a ponta. As unhas não são grudadas nos dedos. Aderem a eles por um processo de união, mas deslizam permanentemente em direção às extremidades, enquanto crescem. Sob as unhas existe um tecido muito sutil e muito sensível, que se descola facilmente,m as tem a capacidade de aderir de novo, sem grandes problemas. Quando removemos o eponíquio, o organismo rapidamente o repõe num ato de preservação de sua segurança. 

Como as pessoas possuem o hábito de retirar a cutícula quase toda semana, nem sempre o corpo consegue nos salvar. Quando isso ocorre, alguns problemas se verificam:

• Pequenos sangramentos costumam infeccionar;
• A umidade excessiva causa a presença de fungos, que ali se instalam inflamando o local;
• A sensibilidade do local aumenta;
• Ocorre paroníquia, conhecida comumente como "unheiro".

Considerada a nítida desvantagem dos pés em relação às mãos (os pés vivem confinados em calçados fechados) , imagine com que facilidade adquirem tais patologias e com que dificuldade se livram delas. A frequência regular de atendimento podológico e o abandono do hábito de retirar a cutícula regridem o quadro patológico, reinstalando a condição saudável dos pés.

Ver perfil

Matéria Por

Vera Coelho

Podologia

Deixar Comentário

Outras matérias desse profissional