Ozonioterapia na Odontologia

ODONTOLOGIA

Ozonioterapia na Odontologia

Um dos fatores que chama atenção pra esse método é a simplicidade da aplicação, boa tolerância dos pacientes, ausência de efeitos colaterais ou reações adversas. A ozonioterapia é um método moderno livre de medicações utilizado para tratar diversas patologias orais, reduzindo o curso clínico das doenças, e alcançando muitas vezes resultados superiores em comparação às terapias convencionais. Este tratamento estimula a circulação sanguínea e resposta imunológica e sua aplicação local apresenta propriedades analgésicas e anti-inflamatórias.

Em busca de alternativas, a ozonioterapia tem sido estudada no meio odontológico como um meio auxiliar terapêutico no tratamento de diversas doenças crônicas e agudas. O grande marco na ozonioterapia se deu em 1935, pelo cirurgião-dentista alemão Edward A. Fisch que publicou o primeiro relato de aplicações de água ozonizada utilizada como desinfetante, representando assim o início da prática clínica do ozônio na Odontologia. No mesmo ano, seu paciente o Dr. Erwin Payr, que também era cirurgião-dentista, publicou casos clínicos de tratamento de necrose pulpar, atingindo sucesso em torno de 75% dos casos.

O ozônio tem a capacidade de destruir bactérias, vírus e fungos e pode ser utilizado nos seguintes tratamentos odontológicos: dentística (tratamento de cárie dental), periodontia (prevenção e tratamento dos quadros inflamatórios e infecciosos), endodontia (tratamento de canal), cirurgia (contribui no processo de cicatrização), dor e disfunção de articulação temporomandibular, ATM (diminuição dos sintomas dolorosos), necrose dos maxilares (osteomielite, osteoradionecrose e necroses induzidas por medicamentos) e em lesões que acometem a cavidade oral como herpes, mucosite, candidíase, entre outros.

Existem várias formas de aplicações do ozônio, porém as vias clássicas dentro da Odontologia são: aplicação do gás diretamente aos tecidos; água ozonizada e óleo ozonizado. Um dos fatores que chama atenção pra esse método é a simplicidade da aplicação, boa tolerância dos pacientes, ausência de efeitos colaterais ou reações adversas. A técnica é absolutamente segura, desde que empregada de acordo com os protocolos estabelecidos e reconhecidos mundialmente. O ozônio possui diversas propriedades biológicas comprovadas cientificamente, o que garante seu uso terapêutico. Em 2006, a Associação Brasileira de Ozonioterapia, foi criada pela necessidade de legalizar a prática de forma consciente e ética pelos cirurgiões- dentistas mediante à realização de cursos de capacitação. A prática é reconhecida pelo Conselho Federal de Odontologia (CFO), por meio da resolução nº 166/2015.

Matéria Por

CAROLINE DE MEDEIROS MARCOS

Odontologia

CRO/SC 15060 | Criciúma

Deixar Comentário