OTORRINOLARINGOLOGIA

Ronco e Apneia Obstrutiva do Sono

O Ronco e a Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono são distúrbios frequentes na população e que por vezes acabam sendo confundidos entre eles. Ambos são classificados como distúrbios do sono e estão relacionados com a passagem de ar pelas vias áreas, entretanto, possuem significados diferentes. Na maioria das vezes, estão associados, mas não, necessariamente, ocorrem concomitantemente.

Qual a diferença entre eles?

O ronco ocorre durante o sono no momento em que o tônus muscular do pescoço e da faringe decresce. Isso causa um estreitamento do espaço faríngeo e o volume de ar necessário precisa ser inspirado a uma velocidade maior, ocorrendo a vibração de tecidos moles como palato mole, úvula, língua e outros. O ronco pode gerar problemas familiares como o incômodo geral, desagregação familiar e desunião ao dormir podendo chegar à separação do casal.

Já a Apneia Obstrutiva do Sono é a interrupção da respiração pelo fechamento da passagem do ar ao nível da garganta. Essa obstrução pode demorar vários segundos e a pessoa só volta a respirar quando um reflexo do organismo consegue reabrir a passagem do ar.

Essas interrupções podem ocorrer centenas de vezes durante o sono. Os sintomas da apneia do sono são: sono excessivo durante o dia, irritabilidade, dificuldade para se concentrar, perda de memoria recente, acordar muitas vezes para urinar, entre outros.

Como realizar o diagnóstico?

A maneira mais simples é a observação do sono que são identificados ruídos altos, despertares recorrentes e, principalmente, a movimentação de tórax e abdome sem a saída de ar pela boca ou nariz. Essa observação pode ser feita domesticamente pelos familiares ou por quem durma nas proximidades.

O diagnóstico médico é realizado através de um exame chamado polissonografia, sendo a principal forma de obter o diagnóstico de Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono. É um exame não invasivo, em que é realizado o monitoramento do paciente através de sensores espalhados pelo corpo, sendo avaliado atividade cerebral, cardíaca, respiratória e muscular.

Quais os possíveis tratamentos?

Caso seja diagnosticado Apneia Obstrutiva do Sono, o médico poderá abordar varias opções de tratamento. A opção mais comum e padrão-ouro no tratamento chama-se CPAP (Pressão Positiva Continua nas Vias Aéreas). O CPAP consiste em um pequeno aparelho compressor de ar muito silencioso de alta tecnologia que se conecta, através de um circuito flexível, a uma máscara ajustada ao nariz ou nariz e boca do paciente. Este aparelho previne a obstrução da garganta durante o sono e restabelece o sono normal ao indivíduo.

As soluções cirúrgicas também estão disponíveis para os pacientes, são uma alternativa ao uso do CPAP e consistem em plásticas nas vias aéreas de modo a evitar seu colapso durante o sono. Importante salientar que nem todos pacientes se enquadram na opção cirúrgica.

Quais os benefícios do tratamento da Apneia Obstrutiva do Sono?

O tratamento adequado da síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono permite que a pessoa apresente uma melhora na qualidade de sono e de vida, mais energia e motivação, melhora do humor, aumento do desempenho no trabalho e aumento no poder de concentração.

Ver perfil

Matéria Por

FÁBIO SCAPUCCIN

Otorrinolaringologia

CRM/SP 146278 | RQE 535448 | São José dos Campos

Deixar Comentário

Outras MATÉRIAS