Colonoscopia: O exame que representa papel importante na Prevenção e Tratamento do Câncer de Intestino

Colonoscopia: O exame que representa papel importante na Prevenção e Tratamento do Câncer de Intestino

O que é Colonoscopia?

É um exame que permite a visualização detalhada e minuciosa do aparelho digestivo, (reto, cólon e íleo terminal). A avaliação é indolor e realizada sob anestesia, com um aparelho de endoscopia (colonoscópio) fino e flexível, que se adapta perfeitamente à anatomia do intestino, com baixo risco de complicações.

Os cuidados preventivos têm grande importância para se evitar o câncer. Dentre as diversas medidas para cuidar da saúde, não podemos nos esquecer das consultas médicas periódicas e os exames de rotina indicados.

Infelizmente, por falta de acesso às campanhas de prevenção ou constrangimento na hora de fazer os exames, o número de pessoas com diagnóstico da doença em fase avançada tem apresentado crescimento.

O câncer colorretal (CCR), em estágio inicial, apresenta manifestações clínicas muitas vezes imperceptíveis e inespecíficas. Por isso, é importante ficar atento a qualquer mudança, sinal ou sintoma diferente.

Converse com seu médico se você apresentar:

• Perda de peso sem um motivo específico;

• Diarreia ou constipação;

• Sensação de que o intestino não está completamente esvaziado;

• Presença de sangue nas fezes;

• Dor abdominal tipo cólica, sensação de inchaço abdominal;

• Cansaço e fadiga constante.

É importante ressaltar que estes sintomas também estão relacionados a outras doenças, não sendo, necessariamente, sinais exclusivos do CCR.

Quais são os fatores de risco para o Câncer Colorretal (CCR)?

• Dieta com alto teor de gordura e pouca fibra, ingestão de carnes gordas assadas em carvão (churrasco), frituras, derivados do leite (manteiga, queijos amarelos), alimentos com corantes, alimentos salgados e embutidos (linguiças, salames, salaminhos);

• Falta de exercício físico;

• Fumo e álcool;

• Idade: A incidência é maior, após os 50 anos, porém pode ocorrer em mais jovens;

• Histórico familiar de câncer intestinal: quanto mais pessoas de uma mesma família tiverem o diagnóstico de câncer colorretal, maior o risco de se desenvolver a doença.

• Antecedentes pessoais com outros tipos de câncer.

• Doença inflamatória intestinal: Aumentam o risco de desenvolver CCR.

• Pólipos: lesões pré-neoplásicas, parecidas com “verrugas”, que se desenvolvem na superfície do intestino, com tamanhos variados. Como o câncer na maioria das vezes se desenvolve de pólipos, a sua retirada é um importante meio de prevenção do câncer de intestino.

Como Prevenir o Câncer Colorretal?

• Peso: ter excesso de peso (obeso) aumenta o risco.

• Atividade Física: O aumento do nível de atividade reduz o risco.

• Dieta: alimentação rica em vegetais, frutas e grãos integrais e com poucas carnes vermelhas ou processadas estão associadas a um menor risco de CCR.

• Não Fumar: tabagismo em longo prazo aumenta o risco.

• Hitórico Familiar: atentar se ocorreu casos de CCR na família

Rastreamento

Segundo o endoscopista Fabrício Alves de Oliveira, “o primeiro sinal da doença é o pólipo, que tem aparência de uma pequena verruga na parede do intestino e é uma lesão facilmente tratada. Geralmente são benignos, mas com o tempo, podem se transformar em um câncer invasivo.

Desta forma, o rastreamento do CCR é extremamente importante na prevenção da doença. O tempo é crucial, quanto antes o diagnóstico, melhor o prognóstico. A partir do momento em que as primeiras células anormais começam a formar pólipos, até se tornar câncer propriamente dito, normalmente leva cerca de 10 a 15 anos. O rastreamento regular previne completamente o CCR, porque a maioria dos pólipos encontrados é removida antes que tenha a chance de se transformar em câncer. O rastreamento pode também diagnosticar o CCR em seu estágio inicial, quando é altamente curável.”

Qual a Indicação e Periodicidade Ideais para Realização da Colonoscopia?

O indicado e que as pessoas, que não tem fatores de risco identificados e sem sintomas, façam a partir dos 50 anos. E se não houver lesões, após 10 anos.

Aqueles com histórico familiar ou fatores de risco para pólipos ou câncer, como doença inflamatória do intestino, devem começar a fazer preventivos aos 40 anos ou 10 anos antes da apresentação da doença do parente que tenha apresentado a doença mais cedo. Por exemplo, caso o parente tenha apresentado o câncer aos 40 anos, é necessário se submeter ao exame com 30 anos. Além disso, o paciente que tem familiares de primeiro grau com CCR deve repetir o exame a cada 5 anos, mesmo que os anteriores não tenham detectado nada de errado.

Conversar com seus médicos para estabelecer o início dos exames de rastreamento mais precocemente ou realizá-los com mais frequência, pois só com essas atitudes de prevenção e hábitos de vida saudável podem nos manter distantes dessa doença de extrema gravidade.

E, com os avanços tecnológicos, procedimentos minimamente invasivos podem ser utilizados, durante o exame de colonoscopia para retirada de lesões pré-malignas e até cura lesões cancerígenas, quando diagnosticadas precocemente.

Ver perfil

Matéria Por

Dr. Fabricio Alves de Oliveira

Médico

CRM/SP 99.680 | São José do Rio Preto

Deixar Comentário