Humanização do parto: Cesárea x Normal

GINECOLOGIA

Humanização do parto: Cesárea x Normal

Entenda o porquê nos dias de hoje tanto se fala sobre essa questão.

A humanização nos partos não está presente apenas no PARTO NORMAL, pode estar presente também no PARTO CESÁREA. A principal característica para o tão falado nos dias de hoje “parto humanizado” é o ambiente, que deve ser de total conforto. Mas fique atento, pois qualquer que seja a opção deve ser sempre realizado em ambiente hospitalar, para total segurança materna e fetal.

O Parto Cesárea Humanizado

A cesárea humanizada defende que a mulher esteja acompanhada do pai ou familiar no centro cirúrgico. Além disso, a iluminação é reduzida. A iluminação no campo operatório é total, o que não acontece é a luz ao redor da mesa. Existe a possibilidade de se diminuir a luminosidade da sala, mas o campo cirúrgico tem que ser iluminado. Além disso, a mãe é mais valorizada e sua participação no parto é maior. Ela é informada pelo médico sobre tudo que está ocorrendo e, caso ela deseje, os campos cirúrgicos (tecidos que delimitam a cirurgia) podem ser abaixados para que a mãe veja seu bebê nascendo, sendo primeiro contato pele a pele da mãe com o recém-nascido; amamentação logo na primeira hora de vida; clampeamento e corte tardio do cordão umbilical; aroma e musicoterapia na sala, entre outras – tudo para deixar o momento mais calmo, leve e especial, sem traumas ou quaisquer tipos de choques para um ou outro. Diferentemente de uma cesárea normal, a mãe passa a ser mais valorizada e participante do momento.

O Parto Normal Humanizado

Nesse tipo de parto, toda atenção dos profissionais está direcionada a atender às necessidades da mulher. Tudo é elaborado para que a mulher tenha mais privacidade, espaço, ambiente com menos barulho, buscas alternativas de posições que aliviem a dor, como caminhar, receber massagem, oferecer água, alimento e apoio emocional durante o trabalho de parto. Assim, o parto é pensado mais como uma mulher que precisa dar à luz, do que no que a medicina tem a oferecer em relação a medicamentos e procedimentos impessoais. No entanto, em alguns momentos, as práticas médicas são essenciais para que tudo corra bem no parto normal e, para isso, às vezes, são necessárias algumas intervenções médicas que só são realizadas em casos extremos de segurança para a mãe e o bebê, como, por exemplo anestesia, indução do parto, episiotomia e até mesmo a cesariana de urgência. A humanização do parto não significa mais uma nova técnica ou mais conhecimento, mas sim, o RESPEITO à fisiologia do parto e à mulher. “Nós recomendamos a prática da Humanização do Parto, independente do mesmo ser normal ou cesareana, trazendo para as futuras mamães o máximo de conforto durante todo o período do pré-natal até o nascimento do seu bebê, traduzindo o que realmente é a experiência de ser MÃE!”, conclui Dr. José Felipe Horta Jr.

Matéria Por

José Felipe Horta Junior

Ginecologia e Obstetrícia

CRM/MT 3598 | RQE 1573 TEGO: 0437/05 | Rondonópolis

Deixar Comentário