Saúde do idoso - doenças respiratórias

GERIATRIA

Saúde do idoso - doenças respiratórias

Com o passar dos anos, o corpo humano vai perdendo sua jovialidade. A pele vai perdendo a viscosidade, os cabelos ficam esbranquiçados. E como os outros sistemas, o respiratório também fica debilitado. Os pulmões perdem a elasticidade, diminuindo a sua capacidade. Os cílios responsáveis pela filtragem do ar e limpeza das secreções, diminuem suas atividades, causando um acúmulo que favorecem as inflamações. A musculatura do tórax perde a capacidade de eliminar secreções pela tosse e de respirar profundamente.

Essas mudanças ocorrem mais rápido com aquelas pessoas que foram fumantes durante toda a sua vida ou que viveram em ambientes em que o ar era poluído. Todas essas características, consequentes do envelhecimento, favorecem e facilitam a instalação de doenças no organismo. Tosse: é um dos sintomas mais comuns para quem já é idoso. Por isso deve ser sempre observada, uma vez que ela dura mais de duas semanas, a avaliação médica é imprescindível para um futuro diagnóstico. Ela está relacionada, na maioria das vezes, a aspiração (quando líquidos do estômago entram nos pulmões), infecções, alergias e a asma.

As causas mais comuns da tosse são: tabagismo, asma, tuberculose, bronquites, pneumonias e reação alérgica a medicamentos. Dispnéia (Falta de Ar): acontece em pessoas já idosas, que estão de repouso ou que fizeram um esforço leve, como subir escadas. Ela é considerada um sintoma preocupante que abrange diversas doenças, ela é manifestada em doenças como insuficiência cardíaca, embolia pulmonar e pneumonias graves. A gravidade é determinada pela quantidade de esforço feito, se uma pessoa sente falta de ar mesmo estando quieta (sentada, deitada) isso é considerado muito grave.

Para os idosos qualquer doença respiratória é considerada uma situação de gravidade, sendo necessário uma observação constante. No que se refere prevenção, é consenso universal, que o conjunto de medidas tomadas a fim de fortalecer o organismo e proteger o indivíduo das agressões ambientais, constituem a melhor forma de se obter a vida saudável. Tais medidas devem ser intensificadas nas pessoas idosas, que tem a fragilidade inerente a idade. Citamos alguns exemplos:

Gripes e resfriados

• Alimentação saudável;
• Ingestão diária de pelo menos 2 litros de água;
• O corpo precisa descansar para repor energias: durma pelo menos 8 horas de sono por noite;
• Só tome antibiótico com prescrição médica;
• Para combater alguns sintomas opte por dipirona ou paracetamol e não faça uso das aspirinas;
• Evite grandes aglomerações de pessoas;
• Deixe as janelas da casa abertas, para manter o ambiente ventilado;
• Lave sempre as mãos;
• Para o nariz entupido use soro fisiológico;
• Medicamentos como descongestionantes e xaropes devem ser tomados somente com prescrição médica;
• Caso os sintomas agravem, procure um médico.

Pneumonia

• Tomar as vacinas contra o vírus da influenza e o pneumococo, preferencialmente antes da chegada do inverno;
• Cuidados básicos com a higiene pessoal, como lavar as mãos;
• Manter o corpo hidratado, especialmente em dias quentes e com baixa umidade;
• Fazer inalação com vapor de água, ajuda na eliminação das secreções pulmonares;
• Exercícios físicos leves;
• Evitar dietas liquefeitas, pois aumentam o risco de aspiração da comida. O certo são comidas pastosas ou semi-sólidas;
• Dieta balanceada, com verduras legumes e frutas (ricas em vitamina C: laranja, acerola, limão, melão);
• Evitar bebidas muito geladas;
• Evite ambientes fechados, já que são mais propícios a contaminação.

Matéria Por

Pedro Ricardo Souza Compasso

Médico

CRM/PR: 23008 | Ponta Grossa

Deixar Comentário

Outras matérias desse profissional