Obesidade Mórbida

CIRURGIA

Obesidade Mórbida

O maior distúrbio nutricional em nosso meio atualmente, é a obesidade, que ocorre quando o acúmulo de gordura corporal atinge níveis que trazem consequências à saúde do indivíduo, tanto física quanto socialmente. Se num passado não muito distante o acesso aos alimentos era difícil e trabalhoso, tendo de serem produzidos e processados quase que artesanalmente; hoje são abundantes, acessíveis a todos, produzidos em larga escala através de processos industriais, hipercalóricos e geralmente de baixo valor nutricional. 

Some a esta realidade os avanços tecnológicos e tendência ao sedentarismo e o que resulta é uma sociedade doente, onde a média de peso individual vem subindo vertiginosamente nas últimas décadas. A obesidade é dita mórbida quando o excesso de gordura armazenada compromete seriamente o funcionamento do organismo, reduzindo drasticamente a expectativa de vida do obeso mórbido e trazendo muitas limitações com perda da qualidade de vida durante sua existência.

É considerada obesa mórbida a pessoa que apresenta porcentagem de gordura na composição do peso corporal acima de 35% para as mulheres e de 30% para os homens. Entretanto, a maneira mais prática de calcular a obesidade mórbida é através do Índice de Massa Corporal (IMC), que faz uma relação entre o peso e a altura: Peso (kg)/Altura2 (m); sendo considerado obeso mórbido sempre que o IMC for maior ou igual a 40kg/m2, ou maior ou igual a 35kg/m2 quando já existirem problemas de saúde relacionados a obesidade: pressão alta, diabetes, problemas articulares, apnéia do sono, doença do refluxo gastroesofágico, entre outros.

Acredita- se que o sobrepeso ou a obesidade ocorram em cerca de 60% da população adulta no Brasil, sendo considerados uma epidemia responsável por significantes e crescentes custos de saúde e tornando-se um sério problema social. Embora o caráter genético não possa ser esquecido, o comportamento é o grande responsável pelo agravamento da obesidade, que ocorre sempre quando há uma ingestão maior de energia (calorias) do que se consegue gastar.

Mas o problema não é de fácil solução, pois a correção passa invariavelmente por mudanças comportamentais muito significativas, fáceis de serem identificadas, mas muito difíceis de serem alcançadas, o que torna o tratamento clínico conservador (dieta, atividade física, medicamentos, etc.) muitas vezes frustrante, frequentemente levando a perdas de peso no início do tratamento seguido do reganho do peso, o conhecido e indesejável “efeito sanfona”.

Como alternativa ao tratamento conservador e devido ao grande problema de saúde relacionado a obesidade mórbida, foi desenvolvido o tratamento cirúrgico, que pode ser realizado através de uma cirurgia abdominal minimamente invasiva (laparoscopia), e onde o cirurgião consegue alterar a anatomia do trato digestivo, seja por uma redução da capacidade de armazenamento do estômago, levando a saciedade precoce (perda do apetite); seja por alterações/ derivações no intestino, agindo assim na capacidade de absorção dos alimentos e melhorando o funcionamento metabólico/ hormonal do individuo operado.

O tratamento cirúrgico, ao contrário do tratamento clínico, apresenta elevadas taxas de resolução da obesidade e pode ser considerado o tratamento de escolha para obesidade mórbida. Mas não se iluda, o tratamento precisa passar invariavelmente por uma mudança comportamental devendo a cirurgia ser encarada como uma ferramenta, muito eficaz é verdade, para mudanças no estilo de vida, as quais deverão ser mantidas para a remissão completa da doença.

É importante também informar que a cirurgia apresenta complicações relacionadas ao ato cirúrgico e nutricionais a longo prazo, que não podem ser esquecidas no momento de escolha do tratamento. Portanto, se você encontra-se nesta grande parcela da população obesa, que percebe diminuir suas expectativas de controle do peso através dos métodos tradicionais; procure profissional qualificado e informe-se sobre o tratamento cirúrgico da obesidade mórbida e veja se você se enquadra nos critério de cirurgia.

A cirurgia bariátrica quando tecnicamente bem realizada, com o suporte adequado de uma equipe multidisciplinar (cirurgião, clínico, nutricionista, psicólogo, fisioterapeuta) e somada ao desejo de mudança comportamental e a disciplina do paciente, é um método muito eficaz e seguro para o tratamento da obesidade mórbida.

Ver perfil

Matéria Por

Luciano Ribeiro Munhoz

Cirurgia do Aparelho Digestivo

CRM/PR: 20192 e RQE: 12255 / 12256 | Paranavaí

Deixar Comentário