Dislipidemia infantil: uma epidemia que faz mal à saúde do coração das crianças

CARDIOLOGIA

Dislipidemia infantil: uma epidemia que faz mal à saúde do coração das crianças

Nós, médicos, estamos assustados e preocupados com o aumento da prevalência de crianças com alterações do perfil lipídico e com as repercussões a curto e longo prazo que isso pode ter. Atualmente, o estilo de vida incluindo o sedentarismo e os maus hábitos alimentares corroboram para a epidemia de obesidade infantil e associado a ela ao aumento de doenças como hipertensão arterial, dislipidemias, diabetes, etc. Precisamos ficar em alerta, a dislipidemia é um fator aterogênico. A formação das placas de aterosclerose pode iniciar na infância secundário às alterações dos lipídeos sanguíneos. A reversibilidade das primeiras lesões ateroscleróticas reforça a necessidade de se controlar a dislipidemia ainda na infância para reduzir os riscos de doenças cardiovasculares futuras.

O que é Dislipidemia?

É a alteração dos níveis sanguíneos de lipídeos circulantes. Esse distúrbio tem como principal característica a presença excessiva de colesterol e ou triglicérides no sangue.

Qual é a prevalência da Dislipidemia Infantil?

No Brasil, está variando entre 28 a 40 % , nos últimos levantamentos.

Quais são as causas da Dislipidemia Infantil?

As dislipidemias podem ser classificadas em primárias e secundárias. As primárias ou sem causa definida têm origem hereditária (genética). As secundárias são causadas por outras doenças como diabetes, doenças da tireoide, uso de medicamentos (corticoides) , estilo de vida e sedentarismo.

Como é feito o diagnóstico?

Para o diagnóstico de dislipidemia são medidos por exames laboratoriais os níveis plasmáticos de colesterol total, HDL, LDL e triglicérides.

Quais crianças necessitam de fazer essa triagem?

A triagem universal é indicada a partir de 10 anos de idade, como solicitação de perfil lipídico para todas as crianças. A triagem para crianças de 2 a 10 anos deve ser feira na presença dos seguintes fatores:

• Obesidade
• Pais ou avós com história de doenças cardiovasculares precoce (homens abaixo de 55 anos e mulheres abaixo de 65 anos).
• Diabetes
• Hipertensão arterial
• Dieta rica em gorduras trans ou saturadas.

Qual é o tratamento para a Dislipidemia Infantil?

O plano terapêutico é feito através da reeducação alimentar , estímulo e adequação de atividades físicas e tratamento medicamentoso. O tratamento medicamentoso é reservado para casos selecionados e de alto risco e deve ser feito pelo especialista.

Uma criança magra pode ter Dislipidemia?

Sim. As crianças magras estão acometidas pelo aumento das dislipidemias, mesmo que tenham o peso adequado, mas apresentam hábitos alimentares inadequados e que sejam sendentárias.

Conclusão: crianças também podem apresentar dislipidemia e seu diagnóstico e tratamento devem ser instituídos o mais cedo possível. A prevenção das doenças cardiovasculares começa desde a infância e garante longevidade e qualidade de vida até a velhice.

 

Ver perfil

Matéria Por

Ana Beatriz Guedes

Médica

CRM/RJ 52.89736-1 | Rio das Ostras

Deixar Comentário