Emocionalmente instável ou Bipolar?

PSIQUIATRIA

Emocionalmente instável ou Bipolar?

A oscilação do humor é queixa recorrente, tanto entre pessoas que sofrem com isto, quanto entre aqueles que convivem com alguém que demonstre variações extremas de suas emoções. Nestes casos, é frequente surgirem dúvidas, tais como: até que ponto este tipo de variação pode ser considerada normal? Tais oscilações indicam diagnóstico de Transtorno Bipolar? 

Antes de falarmos sobre a instabilidade emocional, é relevante termos em mente que a afetividade é uma dimensão psíquica inerente aos seres humanos, e é a nossa vida afetiva que nos permite significar emocionalmente o que vivenciamos, a partir da interação de cada um de nós com outras pessoas e com o mundo.

Desta forma, a afetividade humana é reativa, à medida que situações e circunstâncias da vida se sucedem. Assim, as pessoas sentem-se tristes mediante alguma ocorrência dolorosa, riem quando ouvem uma boa piada, e podem sentir raiva quando frustradas. Fica claro, portanto, que a vivência afetiva humana é oscilante, e reativa às interações interpessoais e ao meio em que estamos inseridos.

Entretanto, algumas pessoas, com quadros de sofrimento psíquico maior, podem manifestar reações afetivas extremas, que lhe trazem sofrimento e prejuízos significativos a suas vidas. Estes são casos de indivíduos com transtornos psiquiátricos, que apresentam, como característica de seu quadro, a instabilidade emocional.

Dentre estes transtornos, podemos citar o transtorno bipolar, que é um diagnóstico que atinge cerca de 1% da população, e é caracterizado por alterações do humor, em que os acometidos apresentam períodos com manifestação de alegria excessiva e/ou irritabilidade claramente maior que a habitual.

Normalmente, tais períodos (chamados quadros de mania ou hipomania) duram pelo menos quatro dias (hipomania) ou sete dias (mania), e intercalam-se com outros períodos em que estas pessoas voltam ao seu estado de funcionamento emocional normal, ou apresentam-se deprimidas. 

Diversos outros transtornos psiquiátricos, também manifestam-se com variações extremas, e/ou inesperadas do humor, porém com padrões distintos de apresentação do transtorno bipolar. Dentre os mais frequentes estão os transtornos de ansiedade, tais como o transtorno de ansiedade generalizada e o transtorno misto ansioso e depressivo, em que sintomas como irritabilidade, sensação de inquietude e agitação, fadiga, humor deprimido, alterações do sono e da concentração são recorrentes.

Transtornos de personalidade, tal como o Transtorno de Personalidade Borderline, também podem ser considerados em quadros psiquiátricos marcados pela instabilidade emocional. Nestes quadros, as pessoas acometidas demonstram atitudes e comportamentos socialmente desarmônicos, ou considerados anormais, de modo permanente durante suas vidas, e muitas vezes demonstram oscilações abruptas e extremas do humor.

Além dos acima mencionados, diversos outros diagnósticos podem, igualmente, ser manifestados por sinais e sintomas que demonstrem ao próprio indivíduo, ou aos que convivem com ele, variações do humor extremas ou significativamente maiores que as habituais.

Com isso, fica claro que, apesar de frequente, a queixa de instabilidade emocional (genericamente falando) não é específica para o diagnóstico de nenhum transtorno mental. Por isso, a avaliação de cada caso, individualmente, por profissional habilitado, é essencial para uma leitura adequada de possível diagnóstico, bem como de proposição de tratamento específico.

Ver perfil

Matéria Por

Luiz Carlos Cantanhede Fernandes Junior

Psiquiatria

CRM/PR 30967 | RQE 20601 | Londrina

Deixar Comentário

Outras matérias desse profissional