Psicoterapia de Grupo com Adolescentes: uma possibilidade de auxílio para os conflitos atuais

PSICOLOGIA

Psicoterapia de Grupo com Adolescentes: uma possibilidade de auxílio para os conflitos atuais

A psicoterapia de grupo com adolescentes tem sido indicada às demandas emergentes, como dificuldades na interação social, transtornos ansiosos e depressivos, questões relacionadas à sexualidade, bullying e outros conflitos. Esta é uma modalidade de psicoterapia com objetivos de atender um número maior de pessoas, a fim de trocar experiências, possibilitando a identificação entre os membros do grupo. Por meio dessa identificação, o grupo interage com a mediação do psicoterapeuta, que avalia as necessidades dos pacientes, alia-se aos recursos disponíveis e auxilia na ampliação dos olhares e na tomada de consciência, utilizando de conduta de aceitação, respeito, empatia e escuta. Meu trabalho como psicoterapeuta de grupo teve início em uma oportunidade clínica da graduação em Psicologia, quando tive oportunidade de atender e observar a eficácia dessa abordagem. Entende-se, hoje, que adolescência é um conceito psicossocial que não está necessariamente vinculado a fatores cronológicos; no imaginário social esta é uma fase crítica no processo de evolução humana. Nesta “fase” – entre a infância e a vida adulta –, o sujeito é convocado a fazer ajustamentos de ordem pessoal, social e cultural. Dentre eles, a luta pela independência financeira e emocional, a sexualidade e o reconhecimento de uma profissão. Nesse sentido, o grupo de psicoterapia com adolescentes emerge como necessidade para as demandas atuais. Exigências, cobranças e indecisão existencial, bem como dificuldades na dinâmica familiar suscitam na família um pedido de auxílio.

Benefícios da Psicoterapia de grupo

De acordo com a Resolução n° 010/2000, do Conselho Federal de Psicologia - CFP, a pessoa psicóloga tem qualificação para exercer o serviço de psicoterapia, que é descrita como prática “por se constituir, técnica e conceitualmente, um processo científico de compreensão, análise e intervenção que se realiza através da aplicação sistematizada e controlada de métodos e técnicas psicológicas reconhecidos pela ciência, pela prática e pela ética profissional, promovendo a saúde mental e propiciando condições para o enfrentamento de conflitos e/ ou transtornos psíquicos de indivíduos ou grupos” (Art. 1°).

• Esse espaço terapêutico consolida uma prática profissional pautada em instrumentos de trabalho que visam atender às diversas demandas, sem julgamentos, sem moralismo e opiniões pessoais.

• A escuta é um poderoso instrumento da minha prática; escutar e estar em contato genuíno com os pacientes é benéfico e muitos relatam sensação de alívio após sessão de psicoterapia.

• É nessa jornada diária de empatia e aceitação do outro que podemos iniciar uma vinculação e de fato um processo psicoterápico dos pacientes. Aos poucos, aprendendo a se ouvir e a olhar para dentro, é possível encontrar e desenvolver estratégias para enfrentamento de suas questões.

Ver perfil

Matéria Por

GABRIEL DE OLIVEIRA

Psicólogo

CRP 12/16712 | Joinville

Deixar Comentário