Microfisioterapia

Trata-se de uma técnica de Terapia Manual, desenvolvida na França, em 1983, pelos Fisioterapeutas e Osteopatas Daniel Grosjean e Patrice Benini, com embasamento teórico primário em estudos de embriologia, filogênese e ontogênese. Com essas informações, os precursores desenvolveram mapas corporais específicos (similares aos meridianos de Medicina Oriental) e gestos manuais suaves, que permitem identificar a causa primária de uma doença ou disfunção, promovendo o equilíbrio e a manutenção da saúde.

O corpo é estimulado a se autorreparar, a partir do reconhecimento do agente agressor (antígeno). O estímulo primário deixa traços (cicatrizes), chamados de memória celular, que ficam armazenadas nos tecidos, gerando alterações no funcionamento fisiológico, tendo em vista a deficiência do sistema imulógico, que não conseguiu eliminar esse agressor.

A técnica auxilia o corpo a eliminar estímulos químicos, físicos ou emocionais recentes ou antigos, mas que ainda estão na memória da célula, impedindo seu bom desempenho. Diariamente, o organismo combate agressões de diferentes naturezas e intensidades: exterior (toxinas, choques físicos ou emocionais) ou o interior (fraqueza de um órgão, cansaço, problemas existenciais) e, geralmente, o organismo se autocorrige. Contudo, se as infrações não forem identificadas, reconhecidas ou muito fortes, o corpo pode não reagir de forma eficaz, deixando que a memória do acontecimento se instale. O acúmulo dessas memórias pode desencadear aparecimento de dores, deixando o corpo fragilizado para se restabelecer, surgindo, assim, as patologias.

Durante a sessão, o fisioterapeuta procura no corpo do paciente, por meio de micropalpações, pontos com alteração na mobilidade e, então, realiza a manipulação para que o organismo reencontre as capacidades que perdeu, mesmo após anos.

A sessão tem duração de aproximadamente 45 minutos e a continuação do tratamento se dá por, em média, 3 sessões, sendo realizadas a cada 30 dias.

Após a sessão, possivelmente, haverá ligeiro cansaço durante 1 ou 2 dias, sendo comum também sintomas físicos como: diarreia, vômito, aumento da dor, febre, crise emocional, como sinal de liberação das memórias agressoras; o paciente deve então descansar para que o sistema imunológico entre em atividade.

Indicações gerais:

• Dores agudas e crônicas;
• Ansiedade;
• Alergias;
• Distúrbios do Sono;
• Cafaleia e enxaqueca;
• Fibromialgia.

Ver perfil

Matéria Por

ANDRESSA HIDALGO SAVATIN

Fisioterapeuta

CREFITO 62.704- F | Ji-Paraná

Deixar Comentário

Outras MATÉRIAS