VARIZES

O que são varizes e como tratá-las

Varizes são veias dilatadas e tortuosas que se desenvolvem sob a superfície da pele. Dependendo da fase em que se encontram, podem ser de pequeno, médio ou de grande calibre.

Como se formam as varizes?

Nem todo mundo tem varizes, mas o principal fator de risco para se ter, é a presença desta doença na família: A HEREDITARIEDADE.

No entanto, existem outros fatores que contribuem para favorecer o aparecimento das varizes ou agravar as já existentes como:

• O sexo: as mulheres são mais propensas do que os homens por causa dos hormônios femininos – principalmente a progesterona que favorece a dilatação das veias.

• A idade: as varizes costumam aparecer a partir de 30 anos e podem ir piorando com o passar dos anos. E é pouco frequente antes dos 30. Entretanto, as micro varizes ou “aranhas vasculares”, também chamadas de “vasinhos”, podem aparecer em pessoas bem mais jovens. Outros fatores favorecem o aparecimento das varizes tais como: a obesidade, tabagismo, traumatismo nas pernas, gravidez, entre outros.

Complicações das varizes

Quando temos varizes, este sangue tende a ficar represado nas pernas e com isso, alguns sintomas podem aparecer como: Dermatite; Trombose; Pigmentação e ou escurecimento da pele; Eczema (geralmente se inicia com prurido – coceira); Flebite (inflamação da veia) e Varicoflebite que consiste na inflamação das varizes. Esta inflamação pode vir acompanhada da formação de trombo decorrente do sangue que coagula.

Tratamento das varizes

Existem diferentes tipos de tratamentos para as varizes e o diagnóstico é relativamente fácil na medida em que pode ser feito pela simples inspeção visual, muitas vezes auxiliado por um aparelho chamado de GPS, VASCULAR. No entanto, se necessário, o medico poderá utilizar- -se do exame de ultrassonografia venosa realizada com o Doppler. O mais importante são as medidas preventivas, no entanto, quando estas medidas de precaução não são suficientes, existem tratamentos menos agressivos, como a escleroterapia química.

Escleroterapia química: É provavelmente a técnica usada a mais tempo para o tratamento das micro varizes ou vasos e para as varizes de pequeno calibre. Consiste na injeção de substancias esclerosantes (glicose hipertônica isolada ou combinada com outros esclerosantes) dentro dos vasos fazendo com que se contraiam e desapareçam, expulsando o sangue para as veias normais. Embora essas injeções precisem ser repetidas em algumas veias, a escleroterapia é muito eficaz, e com excelentes resultados quando bem indicadas e realizada por médicos experientes. No entanto, quando as veias afetadas já atingiram grandes calibres, o tratamento indicado é a cirurgia ou técnicas inovadoras como a ESPUMA DENSA DE POLIDOCANOL, ou a técnica chamada de AMPLIADA.

Espuma densa de polidocanol: Essa técnica consiste em criar uma espuma, no próprio consultório, e injetar em veias mais calibrosas, sem cortes ou anestesia, mesmo aquelas que tenham indicação de cirurgia. Esse tratamento é indicado principalmente para idosos, pessoas com sobrepeso ou com complicações que impeçam indicação cirúrgica.

Escleroterapia ampliada: Consiste na injeção de volumes maiores dos produtos esclerosantes nas veias intermediárias, isso quer dizer: grandes calibres usamos a espuma de polidocanol, nas reticulares ou micro varizes usamos a técnica da ampliada, e nos vasinhos mais finos a técnica de escleroterapia simples.

Qual a vantagem dessas técnicas?

Não requer internação, anestesia, ou até mesmo repouso prolongado. Mas para isso precisa passar por uma avaliação médica minuciosa para elaborarmos o tratamento correto não intercorrendo em riscos para o paciente.

Ver perfil

Matéria Por

João Edmar Galvanin

Clínica Geral

CRM/PR: 12358 | Cianorte

Deixar Comentário

Outras MATÉRIAS