Artrose de Joelho

ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA

Artrose de Joelho

Trata-se de uma doença crônica, geralmente aparece em idades mais avançadas, mas o jovem também pode ser acometido, como consequência de cirurgias ou fraturas na articulação do joelho, doenças como a artrite reumatoide também podem gerar artrose em jovens.

Não há medicamentos ou tratamentos específicos capazes de curá-la definitivamente. Mas hoje com o tratamento adequado, que envolve não só o uso de medicações mas através de uma abordagem sistêmica do paciente, e nesse âmbito temos de olhar desde a qualidade do sono, alimentação, déficit de vitaminas e até o estado emocional. Além de tratamentos realizados na articulação do joelho afetado assim é possível controlar a evolução da artrose, aliviar os sintomas e melhorar as funções do joelho.

Fazer exercícios ajuda na prevenção? Duas coisas são muito importantes em relação a exercícios e artrose, a osteoartrite como consequência de exercícios físicos e a realização de exercícios no tratamento da osteoartrose.

As principais atividades esportivas prejudiciais são as de alto impacto, em que o uso repetitivo da articulação é habitual e que podem determinar dano articular. Os atletas amadores e de elite estão em alto risco de desenvolvimento posterior de artrose nas articulações que recebem carga. Do mesmo modo, os jogadores de futebol, mesmo aqueles sem história de traumatismos significativos. Parece que os corredores têm maior risco de desenvolverem artrose de joelho e coxofemoral tardiamente. Importante ressaltar que a atividade física habitual não aumenta o risco de artrose de joelhos para homens e mulheres.

Em uma avaliação do risco que uma pessoa tem de desenvolver artrose, através da atividade física, é fundamental avaliar as condições de sua articulação. articulações normais podem tolerar exercícios prolongados e até vigorosos sem maiores consequências clínicas, mas indivíduos que têm fraqueza muscular, anormalidades neurológicas, articulações com alterações de eixo (por exemplo, joelhos com desvios para dentro ou para fora – varo ou valgo), diferença significativa de comprimento dos membros inferiores (que só devem ser consideradas apos exame de escanometria), alterações articulares hereditárias ou congênitas (displasias), entre outras. e que praticam exercícios excessivos que sobrecarregam os membros inferiores, provavelmente acabam acelerando o desenvolvimento de osteoartrose em joelhos e quadril. Deste modo, é importante avaliar a existência dessas alterações citadas em pessoas que se dispõem a executar exercícios com sobrecarga, com a finalidade de orientá-los, caso elas existam, a desempenharem atividades físicas que não forcem as articulações, como natação, bicicleta, por exemplo. Do mesmo modo, isto é válido para indivíduos que sofreram dano de ligamentos, tendões ou meniscos que estão sujeitos a um desenvolvimento acelerado de artrose das articulações que suportam carga.

Quanto à participação dos exercícios no tratamento das artroses basta acentuar que eles conseguem melhorar o desempenho funcional das articulações, diminuem a necessidade do uso de medicações, e têm ainda influência sobre o estado geral do paciente, trazendo, inclusive, benefícios psicológicos, podendo atuar modificando possíveis fatores de risco na progressão da doença. Os exercícios são particularmente úteis quando há instabilidade articular, pois a articulação depende de ligamentos e músculos fortes para suas estabilização. O fortalecimento da musculatura anterior da coxa é fundamental e indispensável no tratamento da artrose de joelho, ressaltando que quando se tem um desgaste na patela (condromalacia), exercícios em cadeia aberta , onde o pé não esta apoiado não são recomendados. Os exercícios posturais também são de grande valia. Se você pensa em começar uma atividade para prevenir ou cuidar para não desenvolver uma artrose é muito importante seguir uma estrita avaliação médica que servirá para indicar o que deve ser feito em cada caso. Não se deve fazer simplesmente exercícios e sim os exercícios adequados e que deverão ser corretamente executados.

E o peso influencia? Você vai no medico e ele pede “você tem de emagrecer ..”. hoje o sobrepeso é muito comum as custas do que comemos e do que não fazemos. Lógico que a maior carga física influencia em uma articulação, mas há outros aspectos a serem considerados, um deles é a chamada síndrome metabólica que pode ser considerada como a associação de vários fatores como: obesidade, diabetes, hipertensão, triglicerídeos elevados, colesterol HDL baixo, colesterol LDL alto e a chamada resistência a insulina, uma síndrome da civilização atual. Essa somatória de fatores desestabiliza a estrutura da matriz da cartilagem dando inicio ao processo de degeneração ao longo dos anos.

Então como tratar? Hoje há o tratamento cirúrgico que seria a prótese metálica, onde se substitui a articulação acometida joelho, ombro, quadril. E há o tratamento conservador, que considero uma tentativa de tratamento não cirúrgico, deixando a cirurgia para ultima opção. Nesse âmbito você pode utilizar medicações analgésicas em caso de dor, mas não posso lhe tratar dando remédios para a dor a vida inteira outros prejuízos ocorrerão com certeza, tentando melhorar a causa podemos utilizar uso do colágeno, exercícios de baixo impacto, fisioterapias em muitos casos a aplicação de acido hialurônico na articulação se mostra bem eficaz, pessoalmente não recomendo a utilização de corticoides pelo beneficio ser temporário e pelo dano que causa a articulação. No mundo há muitos trabalhos de pesquisa envolvendo uso de PRP( precipitado de plaquetas) além de aplicação de sangue de medula óssea e de gordura, onde se encontram muitas células que podem promover ao entrar em contato com a articulação uma importante reversão do processo inflamatório e consequentemente melhora das dores.

Ver perfil

Matéria Por

Marcelo Kodja Daguer

Ortopedia e Traumatologia

CRM/SC 7670 | RQE 2621 | Balneário Camboriú

Deixar Comentário