Artroplastia total de joelho

ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA

Artroplastia total de joelho

A artroplastia total de joelho ou prótese de joelho, foi realizada pela primeira vez na década de setenta. Desde então, as melhoras nas técnicas e nos materiais cirúrgicos aumentaram sua eficácia.

O objetivo desse procedimento cirúrgico é corrigir no joelho qualquer grau importante de destruição, deformação e perda de mobilidade articular e isso pode ser feito de modo eficiente, com consequente reposição da morfologia e biomecânica do joelho.

Esse propósito é alcançado pela substituição das superfícies articulares por implantes artificiais metálicos e em polietileno que restabelecem a forma e alinhamento da articulação, devolvendo-lhe a estabilidade e a mobilidade, reduzindo significativamente a dor do paciente.

A dor nos joelhos causada pela artrose (desgaste articular) e resistente a todos os métodos conservadores de tratamento, aliada à redução das atividades de vida diária, deformidades e redução de arco de movimento do joelho, resulta em uma indicação precisa para a substituição articular.

Nos últimos anos, houve uma verdadeira revolução nas artroplastias, com novos tipos de próteses e avanços nas tecnologias e técnicas cirúrgicas. As próteses duram mais e tem formatos mais anatômicos, os procedimentos tornaram-se mais precisos e menos invasivos.

Na cirurgia um instrumental especial, permite medir o tamanho do fêmur e da tíbia e substituir a articulação com artrose pelos componentes da prótese no tamanho ideal para cada paciente. Além dessas medidas, é feito um teste com componentes de prova simulando os componentes definitivos que ficarão no joelho do paciente permitindo checar além do tamanho, o alinhamento, estabilidade articular e adequado arco de movimento. Só então são fixados os componentes definitivos.

Mais de 90% das pessoas que realizam a artroplastia total de joelho sentem uma redução enorme da dor no joelho e uma significativa melhora na capacidade de realizar as atividades comuns do dia a dia. O retorno ao esporte, se desejado pelo paciente, deve ser de forma gradual e acompanhado pelo cirurgião de joelho, fisioterapeutas e educadores físicos. As atividades físicas após a artroplastia total de joelho são caminhadas, academia, natação, hidroginástica, pilates, trilhas leves, ciclismo, dança de salão e outros esportes de baixo impacto.

Ver perfil

Matéria Por

Mauricio Martins Perina

Ortopedia e Traumatologia

CRM/SP: 139382 | Araçatuba

Deixar Comentário