ODONTOLOGIA

Cirurgia Plástica Periodontal

O que são as cirurgias plásticas periodontais?

São cirurgias que visam corrigir defeitos gengivais e de tecidos moles em regiões que apresentam algum tipo de comprometimento estético. Os defeitos que mais incomodam os pacientes são retrações gengivais, alterações de papilas interdentais, perdas de altura e espessura em áreas que foram submetidas a extrações e tecidos moles insatisfatórios ao redor dos implantes.

Quando são indicadas e quais os requisitos para poder submeter-se a uma cirurgia plástica?

A indicação principal se dá quando o defeito altera a harmonia do sorriso do paciente (Figura 1). Ou quando à exposição da raiz proporciona dor ou incomodo para o paciente. Como requisito obrigatório, exige-se saúde bucal. Doenças periodontais, cáries, problemas endodônticos, entre outros, devem ser tratados antes de qualquer cirurgia estética.

Por que são necessários enxertos gengivais para recobrir raízes?

Uma das razões é estética, especialmente quando o paciente mostra a raiz ao sorrir ou ao falar. O enxerto também pode ser indicado em raízes que apresentam sensibilidade às variações de temperatura, dificuldade para higienização (remoção de placa bacteriana) e facilidade para a formação de cárie dental, cavidades e inflamações gengivais são os principais problemas associados à condição de dentes com recessão gengival.

De onde são retirados os enxertos?

As técnicas que apresentam melhores resultados estéticos são aquelas que utilizam enxertos retirados do palato (céu da boca), chamados de enxertos subepiteliais, pois utiliza-se apenas uma delicada camada de tecido que fica embaixo do epitélio. Dependendo da gravidade do caso clínico, duas cirurgias são necessárias para restaurar a gengiva perdida. A primeira cirurgia é de enxerto gengival de epitélio-conjuntivo indicado para recuperar a gengiva queratinizada perdida e a segunda cirurgia é o enxerto subepitelial para recobrir a raiz exposta, ambos removidos do palato.

São cirurgias que visam corrigir defeitos gengivais e de tecidos moles em regiões que apresentam algum tipo de comprometimento estético.

Procedimentos para correção de sorriso gengival

O sorriso gengival é caracterizado por uma exposição de gengiva maior que 3 mm durante o ato de sorrir e está relacionado a vários fatores: erupção passiva alterada (parte da coroa do dente está coberto pela gengiva), hiperplasia gengival (crescimento gengival) causada por placa bacteriana ou medicamentos, lábios superiores curtos ou hiperativos, excesso vertical de maxila (excesso de osso na maxila) ou extrusão dentoalveolar.

O sorriso é considerado normal quando visualizamos no máximo 1 a 2 mm da mucosa gengival. Então, não tratamos se a exposição de gengiva for de até 3 mm. Nem todos os casos de sorriso gengival são tratados. As formas de tratamento podem ser por meio de cirurgia ortognática para remoção do excesso de osso na maxila; gengivectomia (cirurgia periodontal para remover excesso de gengiva ocasionada por uma hiperplasia gengival ou cirurgia periodontal para remover parte da gengiva que está cobrindo a coroa melhorando com isso a exposição de dentes); cirurgia para reposicionamento do lábio superior; aplicação de toxina botulínica e associação destas técnicas.

O sorriso é considerado normal quando visualizamos no máximo 1 a 2 mm da mucosa gengival.

Ver perfil

Matéria Por

ELOÁ R LUVIZUTO

Cirurgia Odontológica

CRO/SP 86536 | Araçatuba

Deixar Comentário

Outras MATÉRIAS