Escoliose

ESPECIAL CAPA

Escoliose

A escoliose do Adolescente , também chamada de escoliose idiopática , é uma deformidade que altera a forma e a posição da coluna, tanto no plano coronal como no espaço tridimensional, geralmente percebida com uma “coluna em S”, Giba , “corcunda” , dentre outros. Acomete a faixa etária dos 10 aos 18 anos, com incidência na população variando de 0,3 a 3%. Em alguns casos, incomuns, trata se de outra doença ligada à má formações ou patologias ligadas ao desenvolvimento neuro-motor. Ainda não é conhecida a causa específica da doença, o que sabe com certeza, é que em famílias com histórico positivo, as chances desenvolver a doença são maiores, deixando claro o papel da herança genética familiar na doença.

O período de maior risco é durante o estirão. Nesta fase da adolescência, a velocidade de crescimento é aumentada, tanto na coluna como no corpo todo, e por isso, a chance de progressão é maior. Outros fatores de risco são o Sexo feminino, a idade do início dos sintomas (quanto mais precoce pior), padrão e o grau da curva. Na maioria das vezes, a queixa do paciente é estética, que passa a evitar clubes, viagens, festas, por vergonha ou insegurança e medo de bullying. Ainda, alguns podem evoluir com dores na costas, região lombar, limitações ou fadiga muscular nas atividades físicas. Ao exame clínico, o paciente pode se apresentar com “gibosidade” torácica, assimetria dos ombros, rotação do tronco e dificuldade de manter o equilíbrio.

Após a avaliação inicial, radiografias de toda a coluna são obtidas para avaliação da deformidade, classificação e sua mensuração, e a partir disso, o tratamento pode ser planejado. Em curvas de menor intensidade, o acompanhamento médico, o uso de coletes para contenção da curva, associado a um programa de exercícios com fortalecimento e reabilitação são as medidas necessárias para o sucesso do tratamento. Caso contrário, em curvas maiores, ou mesmo aquelas em que a deformidade estética é inaceitável por parte do paciente, a correção cirúrgica é feita por um procedimento chamado de artrodese da coluna, que envolve tanto a correção, rotação, quanto à fixação da coluna numa posição satisfatoria para melhor conforto e resposta funcional do paciente. O objetivo primário é a melhora da qualidade de vida.

Ver perfil

Matéria Por

Claudio Diniz Carvalho

Ortopedia e Traumatologia

CRM/MG 54.093 | RQE 36.903 | Uberlândia

Deixar Comentário