ESPECIAL CAPA

Lesões do Ligamento Cruzado Anterior do Joelho

O joelho é a maior articulação do corpo, com função fundamental na marcha e atividades diárias, incluindo esportes. A função articular depende de estabilidade, característica que no joelho é dependente dos ligamentos que ligam os ossos. Os principais ligamentos do joelho são: ligamentos cruzados anterior e posterior que ficam no centro do joelho; e ligamentos colaterais medial e lateral que ficam do lado interno e externo da articulação. O ligamento cruzado anterior (LCA) tem função de impedir a translação anterior do osso da perna (tíbia) sobre o osso da coxa (fêmur), além de contenção no mecanismo de giro sobre os joelhos.

A forma mais comum de lesão do LCA é quando o corpo todo gira sobre o pé fixo no chão causando um entorse no joelho. Geralmente a dor é intensa e o joelho fica inchado por acúmulo de sangue. O próximo sintoma é a instabilidade e a insegurança no joelho afetado. A lesão do LCA pode associar outras estruturas como meniscos, cartilagens e outros ligamentos. O diagnóstico é bem sugestivo pelo exame clínico do ortopedista mas a Ressonância Magnética é usualmente solicitada para confirmar a lesão e investigar outras lesões associadas. O tratamento da lesão do LCA em indivíduos ativos que apresentam instabilidade articular é sem dúvida cirúrgico. Casos especiais podem ser tratados de forma não cirúrgica, mas com várias restrições.

A cirurgia para reconstrução do ligamento não deve ser realizada em caráter de urgência, pelo risco de desenvolver uma cicatrização articular excessiva com perda de movimento, chamada artrofibrose. A fisioterapia pré operatória é de grande valor para retornar a articulação a um estado de movimentação pleno, sem inflamação e com bom controle muscular. Esse então é o momento ideal para se realizar a reconstrução ligamentar. A cirurgia pode ser prorrogada, mas o paciente deve ter a consciência que com o passar do tempo outras estruturas são colocadas em risco, o joelho pode ficar mais instável e piorar o resultado final da cirurgia. Existem muitas variações em relação a técnicas cirúrgicas, implantes utilizados, tipos de enxerto e outros detalhes específicos, mas o conceito da reconstrução do LCA é básico.

O ligamento geralmente rompe como uma corda; esta não pode ser novamente amarrada pois o reparo é insuficiente. Então realiza-se uma reconstrução do ligamento utilizando tendões. São realizados túneis nos ossos que o ligamento unia; os tendões são passados por dentro dos túneis e fixados com implantes específicos (parafusos especiais). Uma vez fixado nos ossos, o tendão faz a função do LCA de estabilizar a articulação e inicia um processo de integração ao osso, tornando-se com o tempo um neoligamento. Durante esse processo, é importe que o paciente realize a reabilitação fisioterápica para ganho progressivo de movimento e força muscular, além do treino de propriocepção, que é a capacidade de reconhecimento espacial do corpo e seu controle.

Em torno de 8 meses após reconstrução do LCA e devidamente reabilitado o paciente estará apto a retornar as atividades irrestritas, realizar giros e outros movimentos sem instabilidade na articulação. A lesão do LCA é um tema em constante revisão com presença obrigatória em todos congressos de joelho mundo afora. Com certeza um desafio constante a todos os profissionais que lidam com ela. O tratamento multidisciplinar é essencial para o sucesso do tratamento.

Ver perfil

Matéria Por

Gustavo Gontijo Domingos

Ortopedia e Traumatologia

CRM/MG 39.899 | RQE 38.200 | Uberlândia

Deixar Comentário

Outras MATÉRIAS