O que é Síndrome de Guillain-Barré?

INFECTOLOGIA

O que é Síndrome de Guillain-Barré?

Síndrome de Guillain-Barré é uma doença inflamatória aguda caracterizada por fraqueza muscular relativamente simétrica, cujo déficit motor máximo é atingido em até 4 semanas. Geralmente ascendente e com arrellexia profunda associada à variável perda de sensibilidade que decorre da agressão imunomediada às raízes e aos nervos periféricos. Todas as idades podem ser afetadas, porém a ocorrência é maior em pacientes com idade > 50 anos.

Não há preferência de gênero, mas alguns estudos mostram discreto predomínio do sexo masculino. Infecções de vias aéreas superiores ou intestinais podem anteceder em 2 a 4 semanas as manifestações paralíticas (60% dos casos). Quando a identificação ocorre, os agentes mais comuns são Campilobacter jejuni, em até 33%, e citomegalovírus, vírus Epstein-Barr, vírus da varicela- zóster, Mycoplasma ou Borrelia, em 6% dos casos.

A manifestação clínica vai depender da topografia (localização) da lesão, porém a grande característica marcante da doença é a Paralisia flácida Aguda, expressão clínica presente em várias doenças que acometem medula, raízes e nervos periféricos (mais comum), junção mioneural ou músculo. Quanto ao diagnóstico, podemos lançar mão de vários exames que podem ser: RNM de coluna (suspeição de lesão medular), punção de líquido cefalorraquidiano, eletroneuromiografia (investigar afecções de nervos periféricos), entre outros.

No que diz respeito ao tratamento, a primeira preocupação é em relação à possibilidade de insuficiência respiratória, devendo, portanto, avaliar as vias respiratórias de modo minucioso, padrão respiratório, parâmetros hemodinâmicos e admissão à UTI, além da imunoterapia especifica para a doença.

SAIBA MAIS SOBRE A SÍNDROME DE GUILLAIN-BARRÉ

Sintomas: Pode causar rouquidão, dificuldade em engolir e em falar, dormência no corpo, sobretudo nas pernas. Nos casos mais graves, pode paralisar o corpo.

Frequência: É rara, com média de um caso a cada cem mil habitantes no Brasil.

A síndrome mata? Se a paralisia atingir os músculos respiratórios, o paciente pode necessitar de ventilação mecânica. Sem o suporte, a pessoa pode morrer por asfixia.

Tratamento: É feito com a medicação venosa Imunoglobulina. Também é necessária uma avaliação neurológica do paciente e acompanhamento da fisioterapia.

Ver perfil

Matéria Por

Cassius Clay Scofoni F. de Azevedo

Infectologia

CRM/MT 6140 | RQE 3289 - RQE 3724 | Cuiabá

Deixar Comentário