Escuta mas não entende? Como está sua audição ou do seu filho?

FONOAUDIOLOGIA

Escuta mas não entende? Como está sua audição ou do seu filho?

Você ouve bem, mas muitas vezes não consegue compreender o que as pessoas dizem? Tem dificuldade de se concentrar, ler e escrever? Precisa pedir constantemente para repetirem o que é dito? Fique atento porque você pode estar sofrendo de Transtorno do Processamento Auditivo Central. Os portadores deste distúrbio detectam os sons, mas não conseguem interpretar as informações contidas nele. Saiba mais sobre a importância do processamento auditivo.

O que é o Transtorno do Processamento Auditivo Central?

Para entender o transtorno do processamento auditivo central, é preciso saber como funciona o processamento da audição. A capacidade que o sistema nervoso tem para traduzir as informações enviadas pela audição é chamada de processamento auditivo central.

Por que o Transtorno do Processamento Auditivo Central acontece?

O transtorno do processamento auditivo pode ser provocado por múltiplas causas. As mais comuns são os problemas de origem genética, lesões cerebrais por anóxia ou traumatismo craniano, além da presença de outros distúrbios neurológicos, atraso maturacional das vias auditivas do Sistema Nervoso Central, infecções de ouvido recorrentes ou por envelhecimento natural do cérebro. A maior parte dos diagnósticos da doença costuma ser feita em crianças e idosos.

Quais são os sinais do Transtorno do Processamento Auditivo?

Para pessoas com transtorno de processamento auditivo central, realizar algumas tarefas simples pode ser praticamente impossível. As dificuldades de concentração provocada pelo problema pode ser facilmente confundida com transtornos de atenção, falta de interesse, por isso, é preciso prestar atenção aos sinais do transtorno.

Conheça alguns dos sinais:

• Dificuldade de aprendizagem;
• Dificuldade de memorização e desatenção;
• Cansaço rápido e agitação ao assistir aulas;
• Dificuldade para ouvir e prestar atenção em lugares barulhentos;
• Necessidade constante de pedir para repetir;
• Parecer não ouvir/entender bem;
• Demora para escutar e/ou compreender o que foi dito;
• Dificuldade em conversas com muitas pessoas ao mesmo tempo;
• Dificuldade para localizar de onde o som está vindo;
• Dificuldade para realizar uma sequência de tarefas que lhe foi solicitada;
• Dificuldade para entender conceitos abstratos.

Diagnóstico do Transtorno do Processamento Auditivo

Normalmente, uma equipe multidisciplinar, composta, em geral, por neurologistas, psiquiatras, otorrinolaringologistas, audiologistas, fonoaudiólogos, psicólogos, pedagogos e profissionais da educação, deve analisar o caso para conduzi-lo a um diagnóstico e ou a uma conduta médica e planejamento terapêutico. Com essa abordagem multidisciplinar, é possível descartar problemas parecidos. Uma avaliação específica do processamento auditivo é realizada por um fonoaudiólogo da área audiológica. A testagem é realizada em cabine acústica, onde o indivíduo é colocado com fones auriculares através dos quais são aplicados testes gravados em CD e padronizados por faixa etária.

Como é o tratamento para o Transtorno do Processamento Auditivo?

Após os exames, é possível ter um relatório com resultados obtidos: desde as habilidades preservadas e as com desempenho abaixo do esperado para a idade, o impacto efetivo das mesmas na vida do indivíduo nos níveis, social, acadêmico e familiar, possível local da disfunção no sistema nervoso auditivo central. Com esses testes sobre o desempenho do processamento auditivo, fica mais fácil identificar o tipo de alteração que precisa ser trabalhado. A boa notícia é que, com o treinamento auditivo adequado, é possível minimizar e reverter os problemas causados pelo transtorno do processamento auditivo central.

Ver perfil

Matéria Por

PRISCILA DE ARAÚJO LUCAS

Fonoaudiologia

CRFa 6-6650-5 | Cuiabá

Deixar Comentário