Cirurgia Plástica e qualidade de vida

CIRURGIA PLÁSTICA

Cirurgia Plástica e qualidade de vida

Inicialmente devemos definir o que é qualidade de vida! É um sentimento geral de bem-estar. Esse sentimento engloba diversos aspectos da vida: físico, emocional e social. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), qualidade de vida é a percepção do indivíduo, de sua posição na vida, no contexto da cultura e sistema de valores nos quais ele vive e em relação às suas metas, expectativas, padrões e interesses. Mesmo quando as causas de desconforto psicológico são pequenas deformidades ou falhas estéticas menores, estas podem se tornar a causa de sentimento de inferioridade ou fator de conflito emocional. Existem várias motivações para realizar a cirurgia plástica.

Dentre os aspectos psicossociais, podem ser classificados como: motivações internas, motivações externas (necessidades de satisfazer os outros, ambições sociais ou profissionais). O principal objetivo da cirurgia plástica é realizar procedimentos cirúrgicos para corrigir defeitos que incomodam o aspecto psicossocial da (o) paciente e contribuir na melhoria de qualidade de vida e satisfação pessoal. Após um procedimento cirúrgico bem-sucedido, onde o resultado ficou como a (o) paciente esperava, é natural que haja um ganho na autoestima e isto reflita de maneira direta nos relacionamentos afetivos, familiares e sociais.

Por exemplo, as crianças que sofrem bullying devido ao problema da orelha de abano apresentam vários transtornos emocionais (timidez, vergonha, inferioridade), que interferem negativamente no seu desenvolvimento afetivo. Há relatos de mães que não cortam o cabelo das crianças para camuflar o problema, há histórias de meninas que colavam a orelha para fechar o abano. As adolescentes que esperam ansiosamente pelo aumento mamário e isto não acontece, devido à herança genética, deixando-as frustradas e incomodadas para usar roupas decotadas e roupas íntimas. Há relatos de pacientes que chegaram a usar 03 (três) peças de sutiã para o enchimento do volume mamário, e existem casos onde a paciente nunca deixou de usar sutiã com roupas de festa, mesmo quando o modelo dispensa o uso do mesmo.

Os adolescentes meninos que possuem lipo ginecomastia ou ginecomastia isolada (acúmulo de volume nas mamas devido ao aumento de gordura/glândula) sofrem muito trauma quando a ocasião necessita a retirada da camiseta. Meninos que chegam a entrar na piscina ou no mar usando camisa; no futebol (time de camisa contra sem camisa). As mulheres que já passaram por uma, duas, três ou mais gestações, que já suportaram todas as mudanças de pesos, mudanças hormonais, distensão da musculatura e da pele, surgimento de estrias, acúmulo de gordura e todas as mudanças que ocorrem no transcorrer de nove meses de gestação. Infelizmente, algumas mudanças não são culpa da paciente, e sim sequelas da gestação; e, por mais que a mulher seja disciplinada no aspecto alimentar e de atividade física, tem imperfeições que só a cirurgia plástica poderá resolver.

A cirurgia plástica, nesses casos, é como um prêmio/ oportunidade para aquela que sofreu mudanças, às vezes, irreversíveis da gestação, de no mínimo voltar a ficar esteticamente próxima do anterior à gestação. Após a meia idade, é comum, tanto em homens quanto em mulheres, o acúmulo de pele e bolsas de gordura nas pálpebras. Este excesso de pele nas pálpebras superiores pode causar um peso no olhar e dar a sensação à paciente que está triste ou brava. Sem contar a insatisfação e dificuldade da paciente em passar sombra ou rímel ao fazer maquiagem. Podemos concluir que, independentemente da idade e do sexo, o mais importante é estarmos bem com a nossa autoestima. Isso é fundamental para a nossa qualidade de vida, e a Cirurgia Plástica está presente com esse objetivo.

Ver perfil

Matéria Por

Reisson Fabricio Abra de Paula

Cirurgia Plástica

CRM/MT: 4743 RQE: 1577 | Rondonópolis

Deixar Comentário

Outras matérias desse profissional