NEUROPSICOLOGIA E TOD Transtorno de Oposição Desafiante, mais comum do que imaginamos...

NEUROPSICOLOGIA

NEUROPSICOLOGIA E TOD Transtorno de Oposição Desafiante, mais comum do que imaginamos...

Quando percebemos que a indisciplina e a desobediência excedem o padrão normal?

Sabemos que tanto as crianças quanto os adolescentes apresentam comportamentos de desobediência, oposição e testam os adultos, desafiando seus limites. É natural que esses comportamentos sejam observados tanto por pais quanto por professores. Contudo, o que fazer quando esses comportamentos se tornam excessivos e capazes de desestruturar uma relação familiar/educacional harmoniosa? Até que ponto chega a ser um problema de indisciplina em casa e na sala de aula? É imprescindível ficar alerta a casos constantes de desobediência, uma vez que eles podem se agravar transformando-se em uma doença, um transtorno muito comum, conhecido como o Transtorno de Oposição Desafiante (TOD) ou Desafiador de Oposição.

TOD – O que é?

É definido com um padrão recorrente de comportamento negativista, hostil, desafiador e desobediente em relação a figuras de autoridade que acarreta um prejuízo significativo ao funcionamento social, acadêmico e ocupacional (Serra-Pinheiro, Schmitz et al. 2004; Serra- Pinheiro, Guimarães et al. 2005; Giovannini 2014). Tanto a criança quanto o adolescente discutem excessivamente com adultos, enfrentam dificuldades em aceitar regras, não aceitam responsabilidade devido a sua má conduta, incomodam exageradamente os demais e perdem facilmente o controle caso as coisas não saiam da forma que eles esperam (Serra-Pinheiro, Schmitz et al. 2004; Teixeira 2013; Teixeira 2014).

Qual Incidência do TOD?

Estima-se que entre 2% e 16% das crianças em idade escolar apresentem TOD. É destacado como mais prevalente em crianças entre 9 e 10 anos. Sendo frequente em meninos, já na adolescência a frequência é igual para meninos e meninas.

TOD – Sintomas?

Os sintomas aparecem em várias circunstâncias, contudo, sua repetição ocorre em casa e no contexto escolar. Dentre os sintomas destacam-se:

• Perda da paciência;
• Acessos de raiva;
• Baixa autoestima;
• Baixa tolerância a frustrações;
• Discussões excessivas com adultos;
• Recusa em obedecer a solicitações ou regras;
• Comportamento de indisciplina, desafiador, opositor;
• Irritação excessivamente;
• Ou provocações às pessoas.

Sintomas na Escola:

• Dificuldade interpessoal;
• Desempenho escolar comprometido;
• Dificuldade em realizar tarefas em grupo;
• Não aceita ou pede ajuda dos professores;
• Discute com professores e colegas;
• Apresenta agressividade com colegas de classe;
• Recusa trabalhar em grupo;
• Não faz atividades escolares;
• Não aceita críticas;
• Desafia autoridade dos professores, coordenadores e demais educadores;
• Deseja tudo do seu jeito;
• Apresenta comportamento de “pavio curto” ou “esquentado” em sala de aula;
• Não assume responsabilidade para si, acusa os outros por seu comportamento hostil.

TOD – Como pode ser tratado?

Infelizmente, o TOD está associado com mau prognóstico na vida adulta, expresso por alto risco de depressão, tentativas de suicídio, abuso de substâncias e problemas com a lei. O diagnóstico e o tratamento precoce podem exercer um papel preventivo fundamental para o manejo e melhora dos sintomas. Terapia que tem se mostrado eficaz é a cognitivo- comportamental e a neuropsicologia, trabalhando com técnicas de manejo parental que têm como premissa modificar o comportamento da criança por meio da alteração na forma dos pais lidarem com ela, treino cognitivo para trabalhar velocidade de processamento, tolerância a frustrações, autoestima e autocontrole. Busque um especialista caso perceba alguns dos sintomas acima. Ele pode dar melhor direcionamento e atuar pontualmente nos prejuízos.

Ver perfil

Matéria Por

PRISCILA LEIVA DUARTE

Psicólogo

CRP 18/003314 | Rondonópolis

Deixar Comentário