Paralisia Facial: Você sabia que o Fonoaudiólogo pode te ajudar na reabilitação?

FONOAUDIOLOGIA

Paralisia Facial: Você sabia que o Fonoaudiólogo pode te ajudar na reabilitação?

A paralisia facial, pode ocorrer de duas formas:

1. Paralisia Facial Periférica (PFP) - também conhecida como Paralisia de Bell, apresenta instalação repentina, marcado pelo enfraquecimento ou paralisia dos músculos de um dos lados do rosto. Ela se instala em virtude de uma reação inflamatória envolvendo o nervo facial que incha e fica comprimido. Ainda não foi identificada a causa exata da PFP, porém, os estudos sugerem que o quadro pode estar relacionado à estresse, fadiga extrema, mudanças bruscas de temperatura, baixa da imunidade, tumores e traumas, distúrbios na glândula parótida, otite média, infecção por bactérias ou vírus que atingem o nervo facial. Sua incidência é de 20 a 30 casos por 100 mil habitantes por ano e responde em média por 70% dos casos de Paralisia Facial. Ambos os sexos podem ser afetados igualmente e a idade média de ocorrência é por volta dos 40 anos, tendo sua maior incidência à partir dos 70 anos.

2. Paralisia Facial Central (PFC) - é caracterizada por paralisia ou paresia da metade inferior de um lado da face. Resulta normalmente de danos nos neurônios motores superiores do nervo facial. Esta, é frequentemente provocada por doenças vasculares como Acidente Vascular Cerebral(AVC) ou aneurismas. A PFC é normalmente caracterizada por hemiparesia dos músculos contra-laterais da expressão facial. Os músculos da testa e ao redor dos olhos permanecem intactos e os músculos faciais que estão envolvidos nas expressões emocionais espontâneas, a maioria das vezes mantêm-se intactos. Logo, ele pode contrair a musculatura da expressão do lado paralisado quando ri ou chora por exemplo, embora não possa fazê-lo voluntariamente.

Principais sintomas da Paralisia Facial:

• Perda súbita; parcial ou total dos movimentos de um lado da face;
• Dor na face;
• Dores de ouvido, zumbido em um ou ambos os ouvidos e maior sensibilidade aos sons;
• Dificuldade ou incoordenação para falar;
• Dificuldade de comer;
• Dificuldade ou inabilidade para mostrar emoções;
• Salivação excessiva;
• Espasmos musculares;
• Ressecamento dos olhos e dificuldade para fechá-los, nos quadros de PFP.

Tratamento: O tratamento da paralisia facial deve ser feito com uma equipe multidisciplinar de médico, fisioterapeuta e Fonoaudiólogo( a). O trabalho fonoaudiológico visa reativar e dar funcionalidade à musculatura afetada e á fala. Quanto mais rápido o início do tratamento após o surgimento da paralisia facial, melhor o prognóstico de recuperação, diminuindo as chances de ficar com sequelas e contribuindo para diminuir o tempo de recuperação. O tratamento fonoaudiológico voltado à reabilitação da paralisia facial, visa a reestimulação da musculatura atingida através de exercícios fonoaudiológicos, massagens, crioterapia, termotarepia, entre outros estímulos, selecionados de acordo com a necessidade de cada paciente, buscando recuperar seu tônus, mobilidade e função. Fazendo desta forma o reajuste da simetria facial, para que haja readaptação das funções atingidas como: mastigação, ingestão de líquidos, respiração e reajuste da fala e da voz.

 

Ver perfil

Matéria Por

CINTIA NAZIF

Fonoaudiologia

CRF’A 5-10671 | Porto Velho

Deixar Comentário