ENDOCRINOLOGIA

O que você sabe sobre menopausa e reposição hormonal feminina?

A menopausa é definida como a parada das menstruações. Falamos que uma mulher teve menopausa quando ela está há um ano sem menstruar. Nessa fase, está encerrado seu período reprodutivo. A maioria das mulheres no Brasil, entram na menopausa em torno dos 50 anos de idade, mas a partir dos 45 anos, isso já pode ocorrer como um fenômeno natural, próprio dessa faixa etária. Chamamos de perimenopausa o período em que as menstruações começam a ficar irregulares. Durante esse período, algumas mulheres, mas não todas, podem sentir os reflexos das modificações hormonais. Podem aparecer os fogachos (as conhecidas ondas de calor), que podem ser bastante desconfortáveis. A diminuição do desejo sexual e da lubrificação vaginal também podem surgir, dificultando as relações sexuais.

A insônia e irritabilidade ainda podem comprometer muito a qualidade de vida de algumas mulheres nessa fase, e elas podem notar também a piora da textura da pele e dos cabelos. Para minimizar esses problemas, pode ser indicada a TERAPIA HORMONAL DA MENOPAUSA (THM) que pode ser feita sob a forma de comprimidos, gel ou adesivos, contendo um ou dois hormônios femininos, a depender de algumas características da mulher que vai utilizar. Mas toda mulher precisa fazer essa terapia? NÃO. Ela está indicada apenas nos casos em que a mulher apresenta sintomas característicos da perimenopausa. Se a mulher não apresenta esses sintomas, e se não houve piora da qualidade de vida nesse momento, não há nenhuma necessidade da THM.

Mas ela deve ficar atenta a outros fenômenos que podem não ser notados pela mulher nessa fase, como a perda de massa óssea, que pode levar à osteoporose, e a alteração dos níveis de colesterol. Outros cuidados médicos podem ser tomados para prevenção desses problemas, e isso deverá ser avaliado individualmente. A osteoporose deixa os ossos mais fracos, e com tendência a fraturas, e a alteração dos níveis de colesterol podem aumentar o risco de doenças cardiovasculares, mas a THM não é indicada quando o único objetivo é a prevenção desses fenômenos. Existem contra-indicações à THM? Sim. Por isso antes de considerar o uso, as candidatas a essa terapia devem passar por uma criteriosa avaliação médica, para que seja verificada se aquela mulher pode fazer uso dela. O desenvolvimento de substâncias mais naturais na THM diminuiu muito o risco de problemas à saúde da mulher, podendo sim ser uma alternativa segura e eficaz para melhorar a qualidade de vida da mulher nessa fase. Consulte seu médico!

Ver perfil

Matéria Por

Estela Carvalho

Endocrinologia e Metabologia

CRM/RO 1749 | RQE 788 | Porto Velho

Deixar Comentário

Outras MATÉRIAS