Cirurgia Plástica Nasal (Rinoplastia)

Cirurgia Plástica Nasal (Rinoplastia)

Na evolução das cirurgias estéticas faciais a Rinoplastia talvez seja dentre todas, a que mais sofreu modificações em sua técnica básica no sentido de fornecer resultados mais naturais e que satisfaçam aos anseios dos pacientes. Das cirurgias faciais que realizamos ela é, de longe, a mais frequente e a que dá aos pacientes o melhor aumento na sua autoestima.

De uma maneira geral as alterações estéticas nasais que operamos são na sua grande maioria localizadas no dorso e na ponta nasal. Narizes com dorso alto, dorso baixo ou quase ausente, tortuoso ou lateralizado são bastante comuns em nosso atendimento. A ponta nasal também apresenta alterações importantes como pontas quadradas, globosas ou caídas que são muito comuns em idosos. Na grande maioria dos casos as duas alterações estão associadas, ou seja, dorso e ponta necessitam de correção. Geralmente, quando um nariz apresenta um dorso alto encontramos uma ponta nasal caída ou mal definida e, quando o dorso é baixo, a ponta é globosa ou baixa necessitando de cirurgia com provável inserção de enxertos no dorso. É importante saber que, quanto mais cirurgias realizarmos em um nariz, maior dificuldade encontramos e o resultado estético tende a ser, na maioria dos casos, mais pobre que o esperado. Por este motivo, os cuidados e conhecimento do cirurgião são importantíssimos para corrigir as alterações em uma única cirurgia. Tornou- se muito conhecido o caso de um cantor de Rock já falecido que teve o seu nariz deformado pelas sucessivas Rinoplastias.

É muito importante que o cirurgião, ao tomar a decisão de realizar uma Rinoplastia estabeleça com o (a) paciente uma relação de absoluta confiança, detalhando cada ponto, fotografando cada detalhe em diversas posições e colhendo do paciente as mudanças que ele pretende ver realizadas no seu nariz e, principalmente, que o seu nariz seja mais bonito e lhe dê uma respiração confortável. Em virtude disso é muito comum realizarmos Rinoplastias associadas a cirurgias dentro do nariz como correções dos conhecidos desvios do septo nasal, as Septoplastias, e diminuição dos cornetos nasais para que o resultado não seja somente estético e sim estético e funcional. Isso só é possível quando o cirurgião domina todo o complexo funcional e estético do nariz. Por isso, é cada vez maior o número de Rinoplastias que estão sendo realizadas pelos Otorrinolaringologistas com especialização em Cirurgia Estética Facial.

Existem duas abordagens cirúrgicas nasais. A abordagem fechada e a abordagem aberta que, na nossa opinião, por fornecer ao cirurgião uma visualização mais detalhada das estruturas, deformidades e suas possíveis correções, é a nossa técnica preferida e a que dá melhores resultados, pelo menos em nossas mãos. A Rinoplastia, cujo pós-operatório é completamente indolor e a alta hospitalar é no mesmo dia, consiste basicamente de pequenas correções de ossos e cartilagens nasais que dão suporte e formato à pele nasal e, em casos excepcionais, na colocação de pequenos enxertos de cartilagem do próprio paciente com posterior fechamento da incisão de abertura com pequenos pontos cirúrgicos que são retirados no sétimo dia de pós-operatório. Não utilizamos qualquer tipo de tampão nasal e o paciente retorna às suas atividades dentro de 1 semana sendo recomendado que evite esforços para evitar pequenos sangramentos que são muitíssimo raros. O paciente retorna ao médico a cada sete dias nas 3 primeiras semanas para pequenas aspirações e é liberado para vida normal logo em seguida sem qualquer marca aparente de cirurgia da face.

Caso necessite, o paciente também pode realizar outras cirurgias como Otoplastias (cirurgia da orelha em abano), Blefaroplastias (cirurgia das pálpebras), Frontoplastia (elevação do supercílio) ou outros procedimentos faciais que deseje em um mesmo tempo operatório e realizado pelo Cirurgião Plástico Facial. Concluímos, afirmando que a Rinoplastia é um procedimento estético de simples execução cujo pós-operatório é confortável e no qual o resultado é muito gratificante para o paciente.

Ver perfil

Matéria Por

José Cabral

Otorrinolaringologia

CRM/RN 1100 | RQE 2166 | Natal

Deixar Comentário