Implante de lentes intraoculares multifocais: Correção da vista cansada!

OFTALMOLOGIA

Implante de lentes intraoculares multifocais: Correção da vista cansada!

Até poucos anos atrás, a chegada da presbiopia (vista cansada), após os 40 anos de idade, era a sentença de que a visão nunca mais proveria a nitidez necessária para enxergar objetos distantes e de perto sem a necessidade de óculos. Métodos alternativos como a correção a laser para longe em um olho e para perto no outro olho, além do uso de lentes de contato, conseguiam prover certa independência dos óculos, mas sempre havia o comprometimento da noção de profundidade e da visão 3D. Recentemente, uma novidade vem alterando a forma de enxergar, literalmente, a correção da vista cansada: o implante das lentes intraoculares multifocais.

As lentes intraoculares multifocais é o que se tem de mais moderno na oftalmologia em termos de correção da presbiopia. E a tecnologia está, cada vez mais, se reinventando ano a ano, com lançamentos e novidades, sempre elevando o padrão do que há de melhor nessa área. O procedimento cirúrgico pode restaurar a visão clara para a leitura, para usar o computador e para distância, em ambos os olhos e sem óculos. Em estudos clínicos, 80% dos participantes que implantaram a lente em ambos os olhos deixaram de usar totalmente os óculos ou lentes de contato após o procedimento, e outros 15% tinham necessidade de correção com óculos apenas em situações muito específicas.

Ou seja, 95% dos pacientes apresentam grande independência do óculos a maior parte do tempo ou total independência. As lentes intraoculares são de acrílico ou silicone e são implantadas cirurgicamente, substituindo a lente natural do olho, o cristalino, da mesma forma que se realiza a cirurgia de catarata. O procedimento dura em torno de 10-30 minutos e a recuperação após a cirurgia geralmente é rápida, com possibilidade de retorno precoce às atividades diárias, assim como após cirurgia de catarata. Depois da cirurgia, a visão melhora de forma gradual. A visão para distância geralmente fica boa dentro de dois ou três dias após a cirurgia. O melhor candidato é o paciente com idade superior a 50 anos, com hipermetropia, pouco astigmatismo e com olhos saudáveis ou apenas com catarata.

Pacientes com glaucoma, inflamação dentro do olho (irite ou uveíte), retinopatia diabética, doença na mácula (região nobre da visão) ou outros problemas em atividade não são bons candidatos para o implante da lente. Por melhor que possa parecer, a cirurgia não é uma panaceia. Sua indicação ainda depende de uma boa avaliação clínica feita por médico oftalmologista e as modificações na visão devem ser conhecidas pelo paciente antes que ele opte por realizar a cirurgia do implante da lente. Apesar de dar grande independência dos óculos em situações do cotidiano, após o implante da lente o paciente pode ver halos ao redor de fontes de luz e perceber a luminosidade muito forte, sintomas que geralmente deixam de serem notados após 6 meses do implante da lente.

Além disso, o paciente com o implante costuma perceber maior dificuldade de enxergar bem no escuro, quando comparado com a visão corrigida apenas com óculos. Em resumo, as lentes intraoculares são excelentes opções para aqueles que desejam depender menos dos óculos. Um médico oftalmologista pode avaliar suas necessidades e recomendar um tipo de lente personalizado para seus olhos.

Ver perfil

Matéria Por

Sávio Milbratz Ferreira

Oftalmologia

CRM/MT 7986 | RQE 3338 | Sorriso

Ver perfil

Matéria Por

Bernardo Ruben Pinto Martins

Oftalmologia

CRM/MT 8617 | RQE: 3751 | Sorriso

Deixar Comentário

Outras matérias desse profissional