Será que meu filho tem TDAH?

PEDIATRIA

Será que meu filho tem TDAH?

O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) é um transtorno neurobiológico, de causas genéticas, que aparece na infância e pode acompanhar o indivíduo por toda a sua vida. Sua etiologia, segundo estudos científicos, parece estar relacionada com alterações em região frontal do cérebro (responsável por controlar comportamentos inadequados, pela atenção e organização).

Esse quadro atinge cerca de 5% das crianças. A prevalência do TDAH entre os parentes das crianças afetadas é cerca de 2 a 10 vezes mais do que na população em geral, caracterizando uma predisposição genética. A ingesta de álcool, nicotina durante a gestação, bem como alguns medicamentos, podem influenciar no aparecimento desse quadro. Quais os sintomas do TDAH?

Ele tem duas apresentações diferentes, a Desatenção e a Hiperatividade. Normalmente o paciente com TDAH vem encaminhado pela escola, com as seguintes queixas: criança inteligente, porém que apresenta dificuldade escolar, não permanece sentada, com material desorganizado, dificuldade em terminar alguma tarefa. Crianças e adolescentes com TDAH podem apresentar mais problemas de comportamento e ter dificuldade em obedecer regras pré estabelecidas.

A desatenção pode se manifestar de diversas formas, normalmente podemos notar que a criança: não consegue manter o foco por muito tempo, não completa atividades, não entende o que está lendo, não consegue terminar suas atividades, é esquecida, desorganizada, durante a aula se distrai facilmente, não consegue lembrar de suas tarefas.

A agitação / impulsividade fica evidente em criança que escala os móveis, corre na frente dos pais, perturba o ambiente escolar, não consegue ficar sentado na cadeira, tem pouca noção de perigo, não respeita regras, sem autocontrole. Nesse caso pode impactar na vida social da criança. A manifestação pontual de algum desses sintomas citados não significa que a criança tenha o Transtorno.

Podemos encontrar crianças que apresentam somente sintomas de desatenção e outras que são hiperativas. No entanto, deve- -se tomar cuidado, pois nem todas as crianças agitadas tem TDAH. Algumas dessas crianças só precisam de regras e limites. O diagnóstico é feito com boa anamnese, aplicação de questionários de avaliação de sintomas, avaliação dos prejuízos causados pelos sintomas e exclusão de outros diagnósticos que podem interferir na qualidade de vida do paciente.

O principal objetivo do tratamento do TDAH é fazer com que a criança aprenda a lidar com seus sintomas. Quando bem indicado, o tratamento de uma criança com TDAH pode mudar completamente sua evolução, principalmente durante o período escolar. É importante associar o acompanhamento multidisciplinar ao uso de medicamentos, quando necessário. Tanto na escola, quanto em casa, o paciente precisa de regras, motivação, reforço positivo quando concluir suas atividades corretamente, além de outras estratégias para estimular sua autoconfiança.

Ver perfil

Matéria Por

Ana Carolina Duarte Gobbi

Neurologia Pediátrica

CRM/PR 35716 | RQE 22381 RQE 22403 | Londrina

Deixar Comentário