Fadiga Adrenal ou Depressão? Um problema frequente mas pouco diagnosticado.

“Sinto um cansaço insuportável”, “não tenho ânimo para nada!”, “perdi a garra de executar trabalhos rotineiros!”. Essas são as queixas mais frequentes que se escuta em qualquer lugar e a todo momento, caracterizando a possibilidade de Fadiga Adrenal.

Mas, afinal o que significa fadiga? E por que provoca tantos sintomas e consequentemente tantas queixas?

A glândula Suprarrenal é quem comanda a ação e o movimento do nosso organismo secretando vários hormônios esteroides. O mais importante é o cortisol.

A falência desta glândula provoca sintoma de fadiga e outros relacionados intimamente à repetição do estresse, que acaba se transformando em um estado crônico.

O estado de estresse crônico em sua fase mais avançada ocorre devido a falência parcial da glândula suprarrenal, o que provoca a diminuição gradativa do cortisol.

Homens e mulheres que abusam do seu organismo no auge da vitalidade, não poupam sua energia vital ou também não limitam seu estresse diário, independente do grupo etário, da classe social e étnica a qual pertençam, podem manifestar a Fadiga Adrenal.

Esse tipo de fadiga, que ocorre devido à queda de cortisol, provoca um grande impacto na qualidade de vida da pessoa, e o aumento da velocidade do seu envelhecimento humano.

A Fadiga Adrenal afeta de forma pandêmica a atual civilização, em razão de vários fatores que agregam aos estressores, tais como poluentes químicos, radiações, toxinas de fungos, bactérias, parasitas e vírus e outras ameaças. Tudo isso, dificulta a atividade humana, impedindo, inclusive, que as pessoas continuem produtivas sob o ponto de vista social e econômico.

A deficiência de cortisol manifesta-se comprometendo as relações humanas, afetando comportamento psíquico, dificultando administração de sua própria vida diária.

A pessoa, antes harmônica, torna-se cada dia mais distraída, confusa, presa àsituação crônica de estresse. A cada dia que se passa, manifesta maior irritabilidade, e uma visão negativa da vida; sente-se vitima até mesmo com reações paranoides, torna-se acusadora, briguenta, ataca os demais com palavras duras, com uma retórica afiada, como se estivesse com “os nervos à flor da pele”.

Sinais e sintomas de Fadiga Adrenal:

• Cansaço entre 9-10 horas da manhã, mas resiste em ir para a cama;
• Necessita de café ou estimulantes para começar o trabalho pela manhã;
• Ânsia por salgados, gordura e alimentos com alta proteína, como carne e queijo;
• Aumento dos sintomas da TPM nas mulheres e menstruação mais intensa;
• Dor na parte superior das costas ou no pescoço, sem razão aparente;
• Sente-se muito melhor quando o estresse é aliviado, como em período de férias prolongado;
• Dificuldades em acordar pela manhã;
• Tendência a ganhar peso e não perdê- lo, especialmente em torno da cintura;
• A alta frequência de contrair a gripe e outras doenças respiratórias e os sintomas tendem a durar mais do que usual;
• Redução do desejo sexual;
• Tonturas ao levantar de uma posição horizontal;
• Falta de energia no período da manhã e à tarde, entre 3 a 5 horas;
• Sente-se melhor, por um breve período, depois de uma refeição;
• Aparecimento de lesões alérgicas e autoimunes na pele como eczemas, urticária, psoríase e etc;
• Taquicardia sem causa aparente.

Diagnóstico de Fadiga Adrenal somente é realizado por médico após correlação clínica e laboratorial e exclusão de outras patologias. Caso você venha se sentindo assim, procure ajuda.

Ver perfil

Matéria Por

Inaê de Almeida Moroz

Clínica Geral

CRM/SP 94865 | Jundiaí

Deixar Comentário

Outras MATÉRIAS