Imunoterapia: uma opção para o tratamento da Rinite alérgica.

OTORRINOLARINGOLOGIA

Imunoterapia: uma opção para o tratamento da Rinite alérgica.

As doenças alérgicas ou atópicas estão presentes em todo o mundo e atingem todas as faixas etárias. Por serem multifatoriais, o controle é bastante difícil e necessita de várias medidas terapêuticas.

A Rinite alérgica é uma doença atópica que se caracteriza por uma inflamação da mucosa nasal, da qual resultam sintomas como obstrução nasal, espirros, coriza, prurido (coceira) nasal entre outros.

O desenvolvimento da Rinite alérgica depende de:

• Fatores genéticos (aumento do risco quando ambos progenitores forem atópicos);

• Exposição a alérgenos ambientais (como pólens, ácaros, fungos, pêlos de animais;

• Exposição a adjuvantes, como tabaco e poluição.

O diagnóstico da Rinite alérgica é dado pelos sintomas referidos pelo paciente além de alterações observadas em exames complementares. Por exemplo, exames de imagem (avaliação da anatomia existente e gravidade de sinusopatias associadas), testes cutâneos de hipersensibilidade e avaliação imunológica. Após a confirmação da existência de Rinite alérgica, esta deve ser graduada para que a partir daí possa se iniciar a terapêutica adequada.

A primeira etapa do tratamento deve ser a orientação quanto à exposição aos alérgenos e às formas de prevenção. Pode-se destacar: lavagens nasais com soro fisiológico, higienização periódica de colchões, travesseiros e outros, além do uso de umidificadores para controle de ambiente.

O tratamento medicamentoso da Rinite alérgica habitualmente utiliza anti-histamínicos, descongestionantes orais, corticoides tópicos ou orais. A escolha do tipo de medicação dependerá da gravidade da Rinite e dos sintomas presentes.

O tratamento com vacinas é chamado tecnicamente de imunoterapia. A vacina é específica para cada alérgeno e consiste na administração do extrato alergênico com o objetivo de promover a tolerância clínica, diminuindo ou eliminando os sintomas. Em pacientes com Rinite alérgica adequadamente selecionados, a imunoterapia resulta em diminuição significativa dos sintomas e do uso de medicações, além de modificar o curso natural da doença alérgica, proporcionando melhora a longo prazo. Seria incorreto afirmar que as vacinas extinguiriam por completo a Rinite alérgica, mas pode-se afirmar que proporciona por muitos anos melhora e até ausência dos sintomas, garantindo excelente qualidade de vida.

Ver perfil

Matéria Por

Tatiana Almeida

Otorrinolaringologia

CRM/PB 6785 | RQE 4136 | João Pessoa

Deixar Comentário