Por que consultar um cardiologista?

CARDIOLOGIA

Por que consultar um cardiologista?

Indicação da prática de atividade física

Inúmeras evidências embasam a importância da prática de atividade física regularmente para promover a saúde, melhorando o bem estar, sono e até reduzindo o risco de doenças crônicas. Atualmente a recomendação é para realização de atividades preferencialmente aeróbicas, de moderada intensidade (como andar rápido no plano) com duração mínima de 2 horas e meia/semana associado a alguma outra atividade de fortalecimento muscular por pelo menos 2 dias por semana. Mesmo aqueles com alguma doença crônica (p. ex. infarto do miocárdio) ou deficiência física também se beneficiam da prática de atividade física regular, mas devem ser avaliados por um cardiologista para definir o tipo e intensidade da atividade recomendada.

Diagnóstico e tratamento da hipertensão arterial

A hipertensão arterial sistêmica (HAS) é uma doença habitualmente silenciosa (não produz sintomas), multifatorial, caracterizada pela elevação sustentada dos níveis pressóricos ≥140 e/ou 90 mmHg e frequentemente associada a outros distúrbios metabólicos como dislipidemia, obesidade e diabetes melito (DM). No Brasil, a HAS atinge aproximadamente 30% da população, com maior incidência na população idosa e naqueles com obesidade. Recomenda-se a investigação de HAS para todo indivíduo com >18 anos a cada 3-5 anos e anualmente para pessoas com >40 anos. A HAS possui forte correlação com as principais causas de morte, como o AVE (acidente vascular encefálico), IAM (infarto agudo do miocárdio) e doença renal crônica (DRC), por isso seu diagnóstico precoce e tratamento efetivo podem prevenir tais complicações.

Investigação da doença aterosclerótica

A aterosclerose (acúmulo de gordura no interior dos vasos sanguíneos) é um processo inflamatório crônico das paredes dos vasos, secundário a vários fatores de risco, dentre eles: DM, HAS, tabagismo e principalmente a dislipidemia (colesterol elevado). Existem vários tipos de colesterol, o mais conhecido é o LDL (também chamado de “colesterol ruim”) e é importante ressaltar que seu nível adequado varia de acordo com o risco cardiovascular de cada pessoa com base na idade, história familiar e outros fatores de risco e que sua origem na idade adulta geralmente decorre 50% da genética e 50% de fatores ambientais como dieta e atividade física. Atualmente não há dúvidas que níveis elevados do colesterol LDL é um dos principais responsáveis pelo acúmulo de gorduras nos vasos sanguíneos, levando à obstrução dos mesmos e eventualmente ao infarto, reforçando a necessidade do controle deste fator de risco. Existem vários tipos de colesterol, o mais conhecido é o LDL (também chamado de “colesterol ruim”) e é importante ressaltar que seu nível adequado varia de acordo com o risco cardiovascular de cada pessoa com base na idade, história familiar e outros fatores de risco e que sua origem na idade adulta geralmente decorre 50% da genética e 50% de fatores ambientais como dieta e atividade física.

Ver perfil

Matéria Por

Carlos Eduardo Carniel Beltrami

Cardiologia

CRM/SC 19065 RQE 15215 RQE 16008 RQE 15214 | Jaraguá do Sul

Deixar Comentário