Rinite Alérgica

Rinite Alérgica

O que é rinite alérgica?

A Rinite Alérgica é a doença mais comum nos consultórios dos otorrinolaringologistas e também a maior causa de obstrução nasal na população.

Rinite é a inflamação da mucosa (pele) que recobre a cavidade nasal. Ela é desencadeada por uma reação do organismo quando exposto a um alérgeno (poeira, pólen, alimentos). É uma doença que na grande maioria das vezes tem transmissão genética, ou seja, se a mãe ou o pai têm alergia, os filhos têm grandes chances de também serem alérgicos.

Quais os sintomas da Rinite Alérgica?

Os sintomas básicos são: coriza, espirros, obstrução (nariz entupido) e prurido nasal (coceira). Esses sintomas podem aparecer em maior ou menor intensidade dependendo de cada pessoa. O prurido também ocorre frequentemente na garganta, olhos e ouvidos.

Nos casos crônicos ou mais graves, pode ocorrer perda do olfato (cheiro) e do paladar (gosto). Ela pode ainda ser responsável por alguns tipos de infecções dos ouvidos (otites) e dos seios da face (sinusites).

A rinite provoca o hábito de respirar com a boca aberta, e a pessoa normalmente nem percebe. Decorrente disso, ela terá anormalidades da oclusão dentária, do crescimento da face, muito mais resfriados, dores de garganta e crises de asma. Provoca ainda, dificuldade para enviar o ar para o cérebro, o que gera mais cansaço, irritação, alterações do sono, roncos noturnos, sonolência durante o dia, alteração no aprendizado e na concentração.

Grande parte das crianças e adolescentes que usam aparelhos ortodônticos, na realidade, são portadores de rinite, e a melhora nessa correção será tanto maior e mais rápida se associarmos o tratamento otorrinolaringológico junto ao ortodôntico.

Quais as causas da Rinite Alérgica?

O pólen das plantas, muitos alimentos, principalmente os industrializados e os ácaros. Estes minúsculos organismos se alimentam da poeira domiciliar (descamação de pele humana e de animais) que está presente nos colchões antigos, travesseiros sem capa, almofadas, sofás, restos de papel velho (jornais, revistas) e brinquedos abandonados pelos cantos do quarto.

Os pelos de animais, cães e gatos, também são terríveis provocadores de alergia nasal. Todos esses provocadores são chamados de alérgenos.

Como tratar a Rinite Alérgica?

A prevenção é sempre o primeiro passo. Não havendo contato do paciente com o alérgeno os sintomas reduzem drásticamente. Como o principal agente é o ácaro, a medida primordial é a Higiene Ambiental.

Medidas simples, como retirar do ambiente: cortinas, tapetes, carpetes e bichos de pelúcia, são bem eficazes. Dar preferência a pisos lisos e fáceis de limpar, realizar limpezas diárias com panos úmidos ao invés de espanar, forrar travesseiros e colchões com material antialérgico ou plástico, nunca deixar revistas, jornais ou livros empilhados nos quartos. Cães e gatos devem ficar fora de casa.

Mantenha o ambiente sempre bem ventilado e ensolarado, para evitar o aparecimento de fungos (bolor). Evite substâncias irritantes do nariz, como perfumes fortes, produtos de limpeza, tintas, inseticidas, poluição e fumaça de cigarro.

Mudanças bruscas de temperatura, frio e umidade do ar são também prejudiciais aos doentes.

Existem ainda tratamentos medicamentosos que previnem e tratam os sintomas. Nenhum medicamento é isento de efeitos colaterais, portanto, não se auto medique. O ideal é procurar seu médico. Faça um tratamento adequado, respire melhor e tenha mais qualidade de vida.

Ver perfil

Matéria Por

Márcio Pedro Martins

Otorrinolaringologia

CRM/PR: 14.832 | Francisco Beltrão

Deixar Comentário