Preservação da Fertilidade

Preservação da Fertilidade

As técnicas de reprodução assistida, e, especialmente, a Fertilização in Vitro, abriu um mundo novo de oportunidades para os casais com problemas para engravidar. Mas, novas situações surgiram, como por exemplo, o que fazer com os embriões viáveis que sobravam dos tratamentos?

Preservar, em biologia, significa realizar um conjunto de ações ou práticas, como o manejo planejado e programas de reprodução, que visa à manutenção de população ou espécies.

Neste contexto foi que se desenvolveram as técnicas de congelamento e criopreservação, inicialmente para embriões, e, depois com grande uso para armazenamento de espermatozoides e mais recentemente de óvulos.

Isto permitiu que novos usos e aplicações do método fossem pensados, principalmente para as pessoas que desejassem somente guardar seus gametas (óvulos ou espermatozoides), ou para serem usados futuramente após tratamentos de câncer.

Com o avançar dos tratamentos de câncer, muitas pessoas conseguem ficar curadas de suas doenças e desejam, obviamente, levar uma vida normal após o tratamento. Com isto, muitos pacientes tem procurado as clínicas de Reprodução Humana, indicados por seus oncologistas, para armazenar seus gametas, conseguindo preservar sua fertilidade futura.

O termo Preservação da Fertilidade engloba atualmente, uma série de técnicas utilizadas com um único propósito: dar a opção ao paciente de poder engravidar em uma oportunidade futura.

O cuidado com a fertilidade já começa em qualquer cirurgia que seja feita em homens ou mulheres na região genital, com o objetivo de não danificar os órgãos reprodutores.

Existem ainda as técnicas específicas de preservação da fertilidade tanto para homens quanto para mulheres.

Homens:

• Congelamento de Sêmen: Já é uma técnica consagrada. Muito utilizada antes de tratamentos de quimioterapia ou cirurgias para Câncer testicular. Atualmente, também, muito procurada por homens que irão realizar vasectomia e desejam ter seu sêmen guardado para uma eventualidade futura. O Sêmen pode ser mantido congelado por tempo ilimitado.

• Congelamento de tecido testicular: É uma técnica ainda experimental. Na prática, pouco utilizada.

Mulheres:

• Congelamento de embriões: É um processo já bem conhecido. Normalmente os embriões que sobram dos tratamentos de Fertilização in Vitro são congelados para serem usados futuramente. Nas pacientes que desejam preservar a fertilidade futura podem utilizar a mesma técnica. O ponto negativo é que existe a necessidade de um parceiro, e o descarte futuramente é muito mais complicado, pois envolve questões pessoais, religiosas e legais.

• Congelamento de tecido ovariano: Assim como o congelamento de tecido testicular, ainda é uma técnica experimental. Utilizada portantoem situações de excessão. As taxas de sucesso ainda são baixas em termos de gestação.

• Congelamento de Óvulos: É a técnica que teve seu desenvolvimento mais recente. Tem a grande vantagem de não necessitar de um parceiro ou um banco de sêmen. Outra grande vantagem, e a mais importante, é estarmos lidando com células. Não existem empecilhos ao descarte se futuramente a paciente não desejar utilizar os óvulos.

Atualmente, é a técnica mais utilizada em quem deseja preservar sua fertilidade para o futuro.

É importante salientar que essas técnicas trouxeram um novo horizonte para os pacientes que se submetem a tratamentos de câncer ou simplesmente para homens e mulheres que não têm a perspectiva de uma gestação em curto tempo, mas que desejam preservar a sua fertilidade para gestar mais tarde.

A Ferticlin, com sua estrutura (associada à Progênese), está preparada para a realização de todos estes procedimentos descritos e para maiores esclarecimentos aos seus pacientes.

Ver perfil

Matéria Por

Marcelo Gressler Righi

Ginecologia e Obstetrícia

CRM 20261 | Francisco Beltrão

Deixar Comentário