Úlcera Venosa e seu Tratamento

ENFERMAGEM

Úlcera Venosa e seu Tratamento

A insuficiência venosa crônica tem vários níveis de gravidade. Pode apresentar desde pequenos vasos que causam desconforto estético, inchaço e manchas nas pernas, até feridas de difícil cicatrização, chamadas de úlceras venosas ou varicosas. A úlcera venosa é um tipo de ferida que surge mais frequentemente nas pernas, principalmente no tornozelo. Inicialmente, possui bordas irregulares e geralmente é superficial, mas pode evoluir, tornando-se profunda e com bordas definidas. Essas feridas são provocadas pelo acúmulo de sangue nos membros inferiores, que ocorre quando as veias não conseguem promover o retorno do sangue ao coração, devido à perda de elasticidade.

As válvulas existentes nas veias não se fecham de forma eficiente, causando refluxo venoso. As úlceras venosas são mais frequentes em idosos, especialmente acima de 65 a 70 anos de idade. A prevalência destas lesões é maior em mulheres do que em homens idosos, com uma relação de aproximadamente 3X1. Essa predominância em mulheres deve-se provavelmente à maior longevidade do sexo feminino, visto que abaixo dos 40 anos, a prevalência é igual em ambos os sexos. Um cirurgião vascular pode diagnosticar se a ferida é venosa com avaliação clínica e exames complementares como a ultrassonografia Doppler.

O tratamento da úlcera venosa consiste em uma série de medidas:

• Em alguns casos, deve ser realizada cirurgia para o tratamento da doença, através da retirada ou fechamento destas veias com espuma, laser ou radiofrequência;

• Reabilitação com a realização de exercícios para fortalecimento da musculatura da perna e melhora do retorno venoso;

• Realização de curativos especiais e terapia compressiva;

• Alimentação adequada.

O enfermeiro exerce papel importante no tratamento de lesões por ser o profissional que diariamente avalia o paciente cuidadosamente, incorporando princípios técnico-científicos. O tratamento de feridas depende de avaliações sistematizadas, prescrições distintas quanto à frequência e tipo de curativo ou cobertura necessários, que podem variar de acordo com o momento evolutivo do processo cicatricial. E para realizá-lo com excelência, é necessário eliminar ou controlar os fatores causais, com adequado suporte sistêmico e terapia tópica apropriada. Sendo assim, é indispensável o envolvimento de uma equipe multiprofissional, com médicos, enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas, entre outros, que juntos irão trabalhar para o sucesso do tratamento.

Matéria Por

NICOLE GUIDI VALVERDE

Enfermagem

COREN SC 199.644 | Florianópolis

Deixar Comentário