Treinamento de resistência, força e mobilidade têm papel fundamental na manutenção da saúde

FISIOLOGIA

Treinamento de resistência, força e mobilidade têm papel fundamental na manutenção da saúde

O termo “treinamento” é utilizado para designar um processo de aperfeiçoamento. O treinamento físico é obtido através de sessões regulares de exercícios em modalidades diversas, considerando as capacidades físicas a ser desenvolvidas. Pode ser iniciado por qualquer pessoa desde que não haja contraindicações prévias. Portanto, idade ou inexperiência em esportes não são barreiras, já que podem ser transpostas com boa orientação. Os estímulos do treinamento oferecem ao organismo desafios cujas respostas são adaptações progressivas. Essas adaptações podem ser de vários tipos: cardiovasculares, psicológicas e neuromusculares, por exemplo.

A individualização do treinamento é um fator fundamental para a obtenção de resultados, considerando que estímulos submáximos não promovem adaptações enquanto cargas excessivas podem gerar ou agravar disfunções. Assim, para otimizar os esforços na academia, é importante uma criteriosa anamnese e avaliação funcional antes da prescrição do programa de exercícios. Isso contribui para um início eficaz e seguro. A atenção constante de bons profissionais e o comprometimento do praticante com a mudança compõem a fórmula que garante avanços na busca por qualidade de vida ou desempenho esportivo. O conceito de “resistência” refere-se à capacidade de resistência psíquica e física de um indivíduo.

A resistência psíquica é a capacidade de manter um estímulo por um determinado período de tempo e a resistência física é a tolerância do organismo e de órgãos isolados ao cansaço. Ambas as capacidades estão relacionadas e são treináveis. Gradativamente, o que no início parecia difícil ou impossível passa a ser tolerado e feito com facilidade, exigindo um novo objetivo, que mais uma vez se tornará leve através do treinamento. Essas sucessivas superações modificam no indivíduo sua autopercepção, ajudando-o a descobrir potencialidades antes desconhecidas e a mantê-lo motivado. O treinamento de “força” não se restringe ao aumento da massa muscular e pode ocorrer aumento da força sem que ocorra hipertrofia.

O aumento da massa muscular, no entanto, é um efeito desejável pois está associado à proteção dos ossos e à manutenção da qualidade de vida ao longo do tempo. Outro componente fundamental de um programa de exercícios é o treinamento da “mobilidade”, que se refere à capacidade de executar movimentos com amplitude. O estilo de vida urbano e a permanência durante horas a fio na mesma posição levam a encurtamentos e desequilíbrios musculares que podem resultar em dores e problemas posturais. A ampliação dessa capacidade garante a execução de tarefas do dia a dia. O treinamento ideal para a saúde é, portanto, diversificado, estimulante e realizado de acordo com os objetivos e potencialidades do praticante.

Matéria Por

SUZANA DALLANHOL

Psicólogo

Deixar Comentário