Já ouviu falar de Resistência à Insulina? Entenda!

Já ouviu falar de Resistência à Insulina? Entenda!

Insulina é um hormônio essencial produzido no pâncreas, na qual tem grande importância na regulação da glicemia no organismo. Ela é fundamental para a normatização das funções metabólicas e para o perfeito funcionamento do organismo.

Após a ingestão de um alimento, inicia-se a digestão. São absorvidos então os aminoácidos resultantes das proteínas, os ácidos graxos dos lipídeos e a glicose dos carboidratos. Assim sendo, no caso da glicose, o pâncreas liberará insulina, estimulando as células do intestino a captarem essa glicose, levando-as para o interior das células e gerando energia. Consequentemente, o nível de glicemia no sangue irá ser reduzido, fazendo a regulação do funcionamento do organismo.

A resistência à insulina ocorre devido às células do pâncreas se tornarem resistentes à insulina, ou seja, o organismo ainda produz, porém perdeu a capacidade de usá-la corretamente. Pessoas resistentes à insulina são hiperglicêmicas pelo fato de não ocorrer a captação de glicose no sangue para o interior das células.

Esse quadro, geralmente, se apresenta em pessoas que possuem diabetes do tipo 2. Na fase inicial, na qual o organismo estará produzindo muita insulina, é possível reverter a situação por meio da reeducação alimentar, onde o diabético estará fazendo a ingestão de alimentos menos calóricos, com baixo índice glicêmico, retirando gorduras e ingerindo na sua dieta fibras e legumes; tudo isso, acompanhado de exercícios físicos regulares.

Quando não há uma melhora na alimentação e quando não há pratica de exercícios físicos e, consequentemente, não há a perda de peso, há um agravamento no quadro clínico do paciente, ou seja, as suas células do pâncreas se extinguem, sendo necessário o uso de insulina sintética, tornando-se um insulinodependente.

Principais causas que levam à resistência à insulina:

• Ganho de peso;
• Colesterol elevado;
• Hipertensão Arterial;
• Herança hereditária, ao ter outros familiares que tiveram ou que têm diabetes;
• Sedentarismo;
• Alterações Hormonais (Principalmente em mulheres; causando uma alteração da insulina).

Sintomas da resistência à Insulina:

• Aumento da sede (por conta do alto nível de glicose no sangue);
• Aumento da frequência e quantidade de urina;
• Fraqueza e fadiga em excesso;
• Infecções Genitais (Devido a hiperglicemia);
• Escurecimento da pele em algumas partes do corpo.

Tratamento:

• Reeducação alimentar e, consequentemente, perda de peso.
• Prática de exercícios físicos regularmente;
• Com um acompanhamento médico e nutricional é aconselhável o monitoramento do nível de glicemia regularmente.

Ver perfil

Matéria Por

FRANCIANE DE MOURA FROES

Nutricionista

CRN: 3-28325 | Araçatuba

Deixar Comentário