Birra: entenda as causas e saiba como lidar

Logo no início da vida, a criança enfrenta situações em que nem sempre os seus desejos são atendidos. Fatos os quais levam à frustração que pode ser desde a hora de mamar no seio da mãe ou a querer um enfeite de mesa, o qual não é brinquedo. Faz parte do desenvolvimento aprender estratégias para lidar com decepções e esse é o momento em que a criatividade pode ser estimulada em todas as situações da infância e a criança pode ser direcionada para o “cai – levanta” que leva à resiliência.

Para enfrentar a frustração, nada melhor do que o treino desde pequeno. Se a criança cai, tudo bem, não há necessidade dos pais tomar um susto e correr para levantar o pequeno, entenda isso como normal. Aprender na vida adulta é mais difícil, pois as quedas poderão ser maiores.

Nada de superproteção! Saber esperar para ser atendido, querer algo e não ganhar, esperar a mãe terminar seus afazeres para atendê-lo, são bons exercícios para as crianças. O problema surge quando os pais tentam evitar qualquer tipo de frustração dos filhos, não permitindo que os pequenos desenvolvam habilidades essenciais para a vida adulta.

Outra questão importante é que as crianças aprendem observando as pessoas que amam. Pais que apresentam dificuldades de lidar com as suas próprias frustrações, perdem a paciência fácil, acabam gritando ou batendo, dando aquelas famosas tapinhas e vai fazer com que a criança entenda como normal.

A fase dos 18 meses de idade, podendo se estender até aos 06 anos, é crucial para a formação da personalidade “ É a fase do não “. É um ciclo natural pelo qual qualquer criança passa, umas com mais intensidade do que outras.

Ao ouvir inúmeros “nãos” de seus familiares frente à tentativa de experimentar as possibilidades de que o mundo oferece, com excesso de negação, começam as birras e a criança não sabe lidar com a frustração. Ela chora, grita, faz escândalo, joga-se no chão, esperneia, agride, como forma de explicitar o que quer, sente, pensa e vivencia com ela mesma e nas relações com as pessoas à sua volta.

Portanto, a birra é a maneira encontrada pela criança de solicitar atenção e cuidados, de demonstrar, por exemplo, que uma necessidade física, ou emocional, não está sendo atendida (carinho, fome, sono ou dor, por exemplo) ou expressar estresse, excesso de estímulos, tédio, angústia, insegurança, medos, entre outros. As birras infantis, além de manifestar uma forma de comunicação, representam um “teste de poder” por parte das crianças. As crianças demonstram seus desejos na espera de conquistá- los, mas precisam praticar o aprendizado de suportar a frustração, quando o objeto almejado não é alcançado. Para o adulto, é uma oportunidade de ensinar a criança sobre os limites que a vida impõe.

Ver perfil

Matéria Por

EDNA OLIVEIRA AGUIAR

Psicólogo

CRP 06/70209 | Bauru

Deixar Comentário

Outras MATÉRIAS