CIRURGIA PLÁSTICA

Rinoplastia secundária

A rinoplastia de revisão, ou cirurgia nasal secundária, é indicada quando por algum motivo o nariz não ficou como esperado, seja na parte respiratória ou estética. É importante lembrarmos que o resultado final de toda a cirurgia depende de uma série de fatores, sejam eles intra-operatórios, pós-operatórios e também relativos ao corpo do paciente. O nariz tem a particularidade de ser uma estrutura dinâmica na qual a recuperação pós-operatória é única e algumas vezes pode evoluir de maneira desfavorável, como problemas na cicatrização ou com complicações pós-operatórias diversas.

Nestes casos há a necessidade de se realizar a rinoplastia de revisão, seja ela secundária, terciária ou até mesmo quaternária. Nestas cirurgias geralmente se torna necessária a utilização de enxertos de cartilagem para se reestruturar o nariz da melhor maneira possível e assim ter um resultado duradouro e previsível. Na verdade a utilização de cartilagem em rinoplastia, o que chamamos de rinoplastia estruturada, deve ser feita mesmo em narizes primários, quando se opera a primeira vez.

A melhor cartilagem para se realizar a rinoplastia estruturada é a do septo nasal, contudo muitas vezes ela já foi utilizada na primeira cirurgia, então a segunda opção é a cartilagem da costela e por último a cartilagem da orelha. Existem algumas indicações onde há a necessidade de utilização da cartilagem costal mesmo que a do septo ainda exista, como em narizes de asiáticos, narizes negroides ou em deformidades maiores nas quais precisamos de bastante cartilagem para se realizar uma boa cirurgia.

Enfim, toda a cirurgia nasal requer uma adequada e precisa análise pré- -operatória para se atingir o resultado desejado, sendo que as cirurgias de revisão devem ter um planejamento meticuloso para se conseguir resolver de maneira definitiva o problema em questão.

Ver perfil

Matéria Por

Rafael de Almeida Tirapelle

Cirurgia Plástica

CRM/SC 15206 | RQE: 7657 | Chapecó

Deixar Comentário

Outras MATÉRIAS