Conversando sobre Pruridos/Coceira

Conversando sobre Pruridos/Coceira

Pruridos/Coceira é uma ocorrência muito comum numa clínica dermatológica. Durante a vida, qual pessoa não teve algum tipo de prurido? Desde os mais corriqueiros até quadros muito intensos. As causas são as mais variadas. Tentaremos resumidamente comentar suas variantes.

O prurido comumente conhecido como coceira, é uma sensação exclusiva da pele. Uma pequena porcentagem de neurônios (não mielinizados), respondem a estímulos dolorosos ou mecânicos, pode ser desencadeado por ocorrência normal, como o toque leve, mudanças de temperatura e estresse emocional, estímulos mecânicos, térmicos e elétricos também podem desencadear prurido. Os padrões de prurido, apresentam amplas variações.

O calor geralmente agravará um prurido pré-existente, estresse, ausência de distrações, ansiedade e medo aumentarão o prurido, tende a ser mais intenso no momento de trocar a roupa para dormir.

Prurido intenso, persistente ou recorrente, com ou sem lesões prévias, costumam ter caráter paroxístico, com início súbito e intenso, frequentemente acorda o paciente e cessa instantaneamente ou completamente, assim que é induzida a dor pelo ato de coçar. O prazer de coçar é tão intenso, que o paciente apesar de perceber que está lesando a pele, não consegue parar de infligir tal lesão.

Prurido que aparece por ressecamento da pele ou inflamação é denominado pruridoceptivo. O prurido neuropático é transmitido por algum tipo de doença que afeta neurônios como a neuropatia pós-zoster.

Mecanismos centrais, podem ser importantes fontes de prurido, sendo que isso explica a maior eficácia dos anti-histamínicos sedativos, sobre os não sedativos. A parasitofobia caracteriza o 4º tipo de prurido o PSICOGÊNICO.

Rapidamente citaremos algumas causas externas de prurido. O prurido pode estar presente, como sintomas em muitos distúrbios internos.

Entre as causas mais importantes do prurido estão hepatopatias, insuficiência renal, hipo e hipertireoidismo, doenças hematopoiéticas, como anemia ferroprivas, linfomas, leucemia, malignidades internas, parasitas intestinais, carcinoides, esclerose múltipla, AIDS, e doenças neuropsiquiátricas, sendo a anorexia nervosa proeminente entre os últimos.

Dermatoses com Prurido

Prurido de inverno ou xerótico: Caracteriza-se por prurido corporal generalizado que em geral é mais intenso nos membros superiores e inferiores. A pele é seca e tem descamação fina. Banhos frequentes e demorados com muito sabonete, durante o inverno são as causas mais frequentes, principalmente nos idosos.

Prurido Anal: Costuma ser centralizado na área anal ou genital, com pouco ou nenhum prurido em outras áreas, sempre deverá ser feita pesquisa detalhada das possíveis causas. Dermatite de contato alérgica, falta de limpeza adequada, hemorroidas, verrugas anais, gonorreia anal, micoses, parasitoses, etc.

Prurido Escrotal: O escroto de um adulto é relativamente imune a infecção por dermatófitos (micose) mas é um local favorito para neurodermatite circunscrita. O prurido psicogênico, provavelmente é o tipo mais frequente de prurido visto.

Prurido Vulvar: A candidíase vaginal é a causa frequente de prurido. Dermatite de contato por absorventes, contraceptivos, soluções para duchas, artigos perfumados, preservativos do parceiro, são algumas das causas de prurido vulvar. Devemos lembrar de liquem esclero atrófico em mulheres de meia idade e idosos.

Prurido Aquagênico: É causado por contato com água em qualquer temperatura. Produz desconforto intenso e sensação de alfinetadas, minutos depois de exposição a água.

Prurido do Couro Cabeludo: É comum em idosos, sua causa é desconhecida. Prurido induzido por drogas: Medicamentos devem ser considerados a possível causa de prurido prolongado com ou sem erupção cutânea.

Psicodermatologia

Há distúrbios puramente cutâneos que tem natureza psiquiátrica, sendo sua causa diretamente relacionada com causas psicopatológica, na ausência de causas dermatológicas primárias ou outras causas orgânicas. Delírios com parasitoses (Parasitofobia), escoriações neuróticas, dermatite factícia e tricotilomania compõem as principais categorias de psicodermatologia.

A pele é frequentemente alvo para liberação de tensão emocional. As autolesões por atos repetitivos compulsivos prolongados podem produzir várias mutilações, dependendo do ato e do local da lesão. Delírio de parasitose são fixações na mente de pessoas, de que ela sofre uma manifestação parasitária da pele.

Muitas pessoas têm hábito compulsivos inconscientes de machucar-se e por vezes, a tendência é tão persistente e pronunciada, que são produzidas escoriações na pele. Dermatite factícia é o termo aplicado às lesões de pele auto-infligidas feitas conscientemente e , muitas vezes, com intenção de despertar simpatias, escapar de responsabilidades ou cobrar seguro por invalidez. Tricotilomania é uma neurose caracterizada por uma urgência anormal de arrancar fios de cabelo.

Síndrome da queimação na boca: As mulheres em pós-menopausa têm particular tendência para uma sensação de queimação da língua, boca e lábios, sem achados objetivos. Esses quadros dermatológicos, exigem exames adequados, com história pessoal e familiar, análise de hábitos das pessoas, suas profissões e hobby. Fizemos aqui uma leve descrição das principais ocorrências em consultório, ressaltando que muitas vezes, temos que recorrer a outras especialidades para termos êxito no tratamento da dermatite.

Ver perfil

Matéria Por

ENZO MELCHIOR JUNIOR

Dermatologia

CREMESP 20218 | RQE 59077 | Ribeirão Preto

Deixar Comentário