Corticoide no Tratamento do Reumatismo: O Lado Bom e Lado Ruim

REUMATOLOGIA

Corticoide no Tratamento do Reumatismo: O Lado Bom e Lado Ruim

Os corticoides ( Esteroides ) representam um grupo de medicamentos amplamente usado em medicina num grupo muito grande de enfermidades, entre elas várias enfermidades reumáticas, em especial as doenças autoimunes (Artrite Reumatoide, Lúpus Eritematoso Sistêmico, entre outras). São substâncias hormonais (cortisol) naturalmente fabricados pelo corpo humano através das glândulas suprarrenais responsável por várias funções do organismo. Isolado no final da década de 1930, o Corticoide foi utilizado pela primeira vez em uma mulher com doença reumática grave, com muito sucesso, no final de 1940. Desde então, a pesquisa tem feita grandes progressos e os corticoides vêm sendo amplamente utilizados. Os corticosteroides incluem cortisona, Prednisona e Metilprednisona. A Prednisona é o tipo mais comum usado pelos Reumatologistas. Temos ainda a Dexametasona e Triancinolona, o Deflazacorte, entre outros.

Principais Enfermidades Reumáticas em que usamos os Corticoides

• Artrite Reumatoide (uma Artrite Inflamatória Poliarticular);
• Lúpus Eritematoso Sistêmico (uma doença generalizada causada por uma função anormal do sistema imunológico);
• Sindrome de Sjogren (Doença Crônica que provoca olhos secos e boca seca);
• Vasculites (Inflamação dos Vasos Sanguíneos);
• Miosites (Inflamação dos Músculos);
• Eventualmente em alguns casos de Gota (Artrite provocada por cristais de ácido úrico).

Potenciais Benefícios e Riscos dos Esteroides e a decisão em usá-lo

A decisão do uso de esteroides deve ser compartilhada entre o médico, paciente e família. Devemos levar em consideração a idade, atividade física, outros medicamentos que o paciente está usando e ainda a gravidade da enfermidade. Cabe ao médico explicar de forma bem clara os riscos e os benefícios antes de começar o tratamento.

Potenciais Benefícios em Reumatologia

Traz grande melhora das doenças inflamatórias e autoimunes, melhorando a qualidade de vida dos pacientes e até mesmo salvando vidas. Sempre que possível a sua utilização deve ser temporária e na menor dose possível. Um acompanhamento clínico e laboratorial rigoroso, principalmente nos tratamentos em longo prazo é importante.

Possíveis Efeitos Colaterais dos Esteroides

Vai depender da dose, do tipo de esteroide e duração do tratamento; Alguns efeitos colaterais são mais graves do que outros.

Os mais comuns são:

• Aumento do apetite com ganho de peso;
• Súbita mudança do humor e insônia;
• Fraqueza muscular;
• Menor resistência a infecções;
• Acne (Espinhas);
• Rosto Inchado devido à retenção de água;
• Osteoporose;
• Agravamento do Diabetes;
• Pressão Alta;
• Catarata, Glaucoma e visão turva.

Incidência dos Efeitos Colaterais e como minimizar

A incidência dos efeitos colaterais mencionados vai depender do tempo de uso. Para minimizar os efeitos colaterais, os médicos usam a dose mínima necessária pelo menor tempo possível, monitoramento da pressão arterial, glicemia, etc. Cuidado com os ossos, principalmente mulheres. Restrição do sal, doces, gordurosos e frituras.

Conclusão

• Uma das maiores descobertas da medicina;
• A alegria de muitos e tristeza de outros tem o lado bom (herói) e o lado ruim (vilão);
• O seu uso deve ser cauteloso e sobre supervisão médica.

 

Ver perfil

Matéria Por

CARLOS EDUARDO CURY

Reumatologia

CRM/SP 158.889 | RQE 6402 | Bauru

Deixar Comentário

Outras matérias desse profissional