OFTALMOLOGIA

Primavera: tempos de alergias oculares!

Alergias oculares, também chamadas de conjuntivite alérgica, é uma condição comum que ocorre quando os olhos reagem a algo que lhes irrita (alérgeno). Estes olhos produzem uma substância chamada histamina para combater o alérgeno. Como resultado, as pálpebras e conjuntiva - a fina membrana transparente que cobre a parte interna das pálpebras e a parte branca do olho (esclera) - torna-se vermelha, inchada, com lacrimejamento, ardor e coceira. Ao contrário de conjuntivite bacteriana ou viral, conjuntivite alérgica não é transmitida de pessoa para pessoa.

Pessoas que sofrem de alergias oculares geralmente têm alergias nasais, bem como um nariz entupido com coceira e espirros. É, geralmente, uma condição temporária (aguda) associada com alergias sazonais. No entanto, em outros casos, as alergias oculares podem se desenvolver a partir de exposição a outros gatilhos ambientais, tais como pelos de animais, poeira, fumaça, perfumes ou até mesmo alimentos. Se a exposição está em curso, as alergias podem ser mais graves, com ardor e coceira significativa e até mesmo com sensibilidade à luz.

Os sintomas de alergias oculares mais comuns incluem:

• olhos vermelhos + inchados + coceira;
• queimação ou lacrimejamento + sensibilidade à luz.

Muitas alergias oculares são causadas pela resposta do organismo aos alérgenos no ar - dentro e para fora - como poeira, pelos de animais, mofo ou fumaça. Algumas pessoas podem herdar, de seus pais, as alergias nos olhos. Para fornecer o tratamento adequado, seu oftalmologista irá verificar se os seus sintomas estão relacionados a uma infecção ocular ou conjuntivite alérgica. O (a) médico (a) geralmente pode diagnosticar a conjuntivite alérgica facilmente, examinando seus olhos e discutindo seu histórico médico, incluindo este ao da história de alergias da sua família.

A chave para o tratamento de alergias oculares é evitar ou limitar o contato com a substância que causa o problema. Mas, você tem que saber o que evitar. Se necessário, um alergista pode realizar um teste na pele ou exame de sangue para ajudar a identificar o alérgeno específico. Se o pólen é um alérgeno para você, evite sair ao ar livre, tanto quanto possível, quando a contagem de pólen é mais alta (geralmente no meio da manhã e início da noite), e quando o vento sopra pólen ao redor. Quando você estiver ao ar livre, óculos de sol ou óculos pode ajudar a prevenir o pólen de entrar em seus olhos.

Para ajudar a minimizar a sua exposição ao pólen e outros irritantes enquanto você está dentro de casa, mantenha as janelas fechadas e utilize ar-condicionado - tanto em seu carro como em casa. Mantenha seus aparelhos de ar-condicionado limpo. Se o molde é um gatilho de alergia para você reconhecer que a alta umidade pode causar fungos e crescer, mantenha o nível de umidade em sua casa, cerca de 30 a 50 por cento. Limpe áreas de alta umidade, como porões, banheiros e cozinhas com frequência e considere o uso de um desumidificador em lugares particularmente úmidos (como um porão).

Se o pó em casa traz para você uma conjuntivite alérgica, tente reduzir a sua exposição a ácaros, particularmente em seu quarto. Use tampas de alérgenos, reduzindo de modo especial para sua cama - particularmente seus travesseiros - para manter os ácaros longe de sua pele. Lave sua roupa de cama com frequência, utilizando água quente. Se os animais são uma fonte de alergias para você, tente manter os animais fora de casa, tanto quanto possível. É particularmente importante não permitir que um animal de estimação fique em seu quarto para que você possa dormir em um ambiente livre de alérgenos.

Considere madeira ou piso frio em vez de carpete, que aprisiona pelos de animais. Lave sempre as mãos depois de tocar um animal de estimação e lave a roupa que tenha sido exposta a animais de estimação. Finalmente, sempre evitar esfregar os olhos, que só irrita mais. Tratamento de alergias oculares com colírios e medicamentos e um médico oftalmologista podem ajudar a determinar quais tratamentos são melhores para você.

Ver perfil

Matéria Por

MARCELO JORDÃO L. DA SILVA

Oftalmologia

CRM/SP 80828 | RQE 55289 | Ribeirão Preto

Deixar Comentário

Outras MATÉRIAS