Como restaurar a moldura do seu rosto? Cirurgia Capilar

CIRURGIA PLÁSTICA

Como restaurar a moldura do seu rosto? Cirurgia Capilar

A calvície é um problema de saúde que afeta homens e mulheres em todo o mundo. Ela promove queda precoce ou gradativa dos cabelos, influenciados pela genética familiar associada ou não ao estímulo hormonal da testosterona. Atualmente, existem novas maneiras de reverter esxasa doença: a principal delas e definitiva é transplantar fios em áreas onde eles já não existem. São retirados do próprio paciente e transferidos para onde não crescem mais pelas técnicas chamadas: FUT é a sigla em inglês para transplante de unidade folicular.

Neste procedimento o médico retira uma faixa de couro cabeludo da parte de trás da cabeça, próxima à nuca. Nessa região, os folículos não são suscetíveis aos fatores hormonais responsáveis pelo enfraquecimento e queda dos fios, e essa característica vai junto com a unidade folicular para a área receptora. Na sequência, é feita a separação dos folículos em microscópio de alta definição para serem reimplantados na área a ser tratada, obedecendo o sentido do crescimento dos fios, espessura e o padrão de unidade folicular de cada região em que será feito o implante, com o auxílio de lupas especiais, objetivando a naturalidade do resultado.

A FUE (extração da unidade folicular) é considerada uma técnica para os pacientes que desejam cortes de cabelo mais curto e apresentam áreas doadoras muito densas. Nela, os folículos são extraídos um por um, também da região perto da nuca, deixando somente uma cicatriz que se assemelha a um ponto no local. É indicada para jovens, para quem usa o cabelo raspado ou extremamente curto. FUE ROBOTIZADO: a técnica de FUE com o auxílio do robô ainda não é a melhor escolha, cuidado com “médicos” que se escondem por trás de um aparelho.

Você sabe o que o robô faz em uma cirurgia “robotizada”? Apenas corta a pele ao redor da unidade folicular com uma lâmina circular muitas vezes mais calibrosa do que fazemos manualmente com a lâmina que acompanha um rotor de velocidade controlada, não tira a unidade folicular, quem tem que fazer isso é o médico que está acompanhando o robô além da maquina não participar nos processos de furação e implante dos fios das unidades foliculares na região receptora.

Outra característica importante que nossas unidades foliculares apresentam diferentes ângulos e inclinações no sentido do fio crescer e o robô muitas vezes não consegue capitar um ângulo mais inclinado no seu sensor podendo decepar a “raiz”, bulbo capilar fazendo o paciente perder definitivamente algo tão precioso para um calvo que são as unidades foliculares doadoras. O Robô não proporciona um maior número de unidades foliculares até porque é mais lento do que uma equipe de até 6 pessoas treinadas há anos para fazer o melhor por você.

Outros tratamentos

Não é só no cabelo que a genética familiar associada ou não ao estímulo hormonal da testosterona, e outras situações (eletrólise ou remoção a laser, cirurgia de reparação cicatricial, queimaduras ou outros tipos de acidente) têm influência na perda de fios. Em outras regiões do corpo também podem ocorrer perdas devido a estas condições. Assim, a cirurgia para restauração dos fios também pode ser empregada em outras áreas do corpo, incluindo a da barba, do peito, do abdômen e das sobrancelhas, com o objetivo de aumentar a espessura dos fios existentes ou possibilitar o crescimento de novos pelos.

As técnicas usadas para isso são as mesmas da cirurgia capilar. A única diferença é a de que, ao invés de implantar os cabelos retirados da parte anterior da cabeça na parte superior, os fios são colocados na região acima dos olhos, no caso das sobrancelhas. O mesmo pode acontecer em relação à barba, peito e abdômen. ”PROCURE SEMPRE UM ESPECIALISTA, certifique se o médico que você vai se consultar tem o RQE (REGISTRO DE QUALIFICAÇÃO DE ESPECIALISTA)”

Ver perfil

Matéria Por

Marcelo Evandro dos Santos

Cirurgia Plástica

CRM/SC 11514 | RQE 16099 | Balneário Camboriú

Deixar Comentário