ODONTOLOGIA

Como superar o medo de dentista

Por muito tempo, ir ao dentista era sinônimo de angústia e sofrimento. Aquele famoso barulho da broca odontológica pode causar pavor até hoje em muitas pessoas que passaram por traumas, dores ou por experiências ruins. Muito destes medos vêm de situações vividas ou presenciadas no passado, em uma época em que a odontologia não era tão moderna e acessível, aonde uma simples cárie ou uma dor de dente era motivo para uma extração e tratamentos dolorosos, com materiais muitas vezes precários. Muitos destes sentimentos e emoções vividos pelos pais, podem até fazer com que as crianças fiquem com medo de dentista, em muitos casos, os pais fazem ameaças de levar a criança ao dentista, caso ela não se comporte. Isso acaba gerando uma criança insegura na visita a um dentista. Hoje em dia, a odontologia moderna conta com tratamentos e técnicas que fazem com que o paciente não sofra e sinta- se disposto a prosseguir com o seu tratamento, diminuindo ao máximo o medo de dentista. Tanto adultos quanto crianças podem contar com materiais diferenciados que diminuem o tempo de tratamento e aumentam a qualidade e a eficácia do procedimento, geralmente encontrados em clínicas especializadas, e também podem contar com profissionais que são treinados para tornar a consulta agradável e muitas vezes divertidas.

Uma boa dica é iniciar desde cedo visitas periódicas ao um dentista especializado em odontopediatria. Este tipo de profissional é capacitado para atender além das crianças, gestantes, idosos e adultos que tem medo de dentista, onde se adota técnicas de condicionamento psicológico, adaptação aos instrumentais, ambientes lúdicos que fogem do padrão de um consultório, além de tratamentos específicos, caso necessário, como sedação endovenosa, com óxido nitroso ou medicamentosa. No dia a dia de uma clínica especializada, vemos muitas crianças chegarem com medo frente ao tratamento odontológico. Tanto crianças que nunca foram ao dentista anteriormente quanto crianças que já tiveram experiências negativas, chegam com dor ou por emergência. Por esta razão a abordagem que deve- -se ter com estes pacientes é diferenciada. Crianças que vão ao dentista pela primeira vez e não sabem o que é passar por um tratamento odontológico pode ter receio de barulhos ou do lugar e objetos estranhos, o famoso medo do desconhecido.

Muito destes medos vem da insegurança passada pelos pais, sendo que a melhor forma de lidarmos com este tipo de medo é levar a criança a um profissional especialista, apresentando-o como um amigo, que de forma lúdica e com brincadeiras, saberá lidar com choros e inseguranças, mostrando a criança que pode ser legal ir ao dentista, principalmente se mantiver tratamentos preventivos, menos invasivo possível com reforço positivo e premiação por bom comportamento. Crianças que esperneiam, choram, berram no médico, para cortar o cabelo, escovar os dentes, tomar banho, é possível que tenha um comportamento semelhante no dentista. Muitas vezes a criança age dessa forma por medo, e não porque está sentindo dor. O Odontopediatra está capacitado para diagnosticar e tratar a dor, além de fazer os procedimentos de forma eficaz e confortável. O maior desafio além de manejar o comportamento da criança, é controlar os medos e anseios dos pais, conscientizando que os pais devem evitar trazer a criança somente quando sentir dor, além de passar segurança e apoiar os filhos para que se conscientize que ir ao dentista é algo bom e que trará inúmeros benefícios para a saúde da pessoa para o resto da vida.

Matéria Por

BRUNA LUIZA VICENTI MEOTTI

Odontopediatria

CRO 8843 | Balneário Camboriú

Deixar Comentário

Outras MATÉRIAS